PSD tenta lei repor lei antiga nos salários da CGD

Através do deputado Duarte Pacheco, o PSD anunciou hoje que considera "inaceitáveis" os ordenados anunciados para os novos administradores da Caixa Geral de Depósitos (CGD)

Segundo revelou, o PSD irá até ao fim da semana apresentar uma iniciativa legislativa repondo a lei que o atual Governo revogou através de um decreto já promulgado pelo Presidente da República, decreto que eliminou limites nos salários dos gestores do banco público.

O diploma social-democrata irá, caso aprovado, repôr a regra segundo a qual o ordenado dos administradores da CGD tem que resultar da média dos três anos anteriores, nos postos que ocupavam antes de irem para o banco público. E se essa média for muito elevada, então o ministro das Finanças terá o poder de veto.

Para Duarte Pacheco, "nas instituições públicas tem de haver decoro" e esta situação "é uma vergonha". Sobretudo - acrescentou - tendo em conta que há um processo de recapitalização em curso na CGD e há regras para bancos privados sob resgate que impõem cortes a metade nos vencimentos dos gestores.

De acordo com Duarte Pacheco, os novos administradores do banco público ganham agora o triplo do que ganhavam os anteriores.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG