PSD retira do objeto da comissão de inquérito parte que suscitou parecer à PGR

"Mostramos a nossa predisposição construtiva para ultrapassar aquele que tem sido invocado como um pretexto para inviabilizar a atividade desta comissão de inquérito", anunciou Luís Montenegro

PSD e CDS-PP vão retirar do objeto da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos a parte que suscitou dúvidas ao presidente da Assembleia da República e motivou um pedido de parecer à Procuradoria-Geral da República.

"Do nosso ponto de vista a posição do presidente da Assembleia da República e dos partidos que suportam o Governo não tem consistência jurídica e muito menos consistência política, mas ainda assim mostramos a nossa predisposição construtiva para ultrapassar aquele que tem sido invocado como um pretexto para inviabilizar a atividade desta comissão de inquérito", anunciou o presidente do grupo parlamentar do PSD, Luís Montenegro, numa conferência de imprensa conjunta com o líder do grupo parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães.

Isto é, acrescentou, será retirada a parte do objeto relativa a uma "indagação diretamente relacionada com o processo negocial que está a decorrer entre o Governo e Bruxelas".

Luís Montenegro vincou que, se depois de retirado esse ponto do objeto, se mantiver a "obstrução e o bloqueio" à comissão de inquérito estarão ultrapassadas "todas as oportunidades admissíveis e está em causa um exercício democrático, constitucional e legal e um direito dos deputados".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG