Palavras, imagens, números: os códigos usados pelos skinheads

Há vários símbolos e sinais associados aos cabeças rapadas que podem servir para os identificar

Prospect

Quando são recrutados, os futuros hammerskins são sujeitos a vários testes, os principais passam pelas agressões de natureza discriminatória. O prospect é a última fase, uma espécie de estágio, antes de serem membros efetivos.

Hangaround

Estes são os candidatos que estão mesmo na fase inicial da sua entrada na organização. A pressão sobre estes hangarounds centra-se na sua conquista, através de convívios e concertos, onde lhe vai sendo dada a propaganda neonazi.

14, 28, 38, 88

Os números na cultura skin ocultam palavras-chave. O 14 são as 14 palavras do racista preso David Lane ("devemos assegurar a existência do nosso povo e um futuro para as crianças brancas"); o 28 é a 2ª e a 8ª letra do alfabeto; B, o Blood and Honour, o lema dos hammerskins; o 38, a 3ª e a 8ª, CH, Crossed Hammers (martelos cruzados), o símbolo da organização; o 88, a repetição da 8ª letra, HH, ou Heil Hitler.

Skinhouse

É o quartel-general, ou sede, da organização. Onde se reúnem, definem estratégias, convivem, assistem a concertos de bandas com músicas racistas. Em 2007 a PJ desmantelou uma no Tojalinho, Loures. Na semana passada, em Odivelas.

Hammerskin nation

Formado em Dallas, EUA, em 1988, expandiu-se por todo o mundo. É o grupo mais bem organizado e hierarquizado dos extremistas violentos de direita. Defende a supremacia da raça branca e querem expulsar os imigrantes, os gays e os antifascistas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG