Guardas acusam direcção de Custóias de ignorar avisos

O delegado sindical dos guardas prisionais de Custóias acusa a direcção da cadeia de ter ignorado os alertas de falta de segurança das instalações, que diz estar na origem das agressões de hoje, e admite o recurso à greve.

Em declarações à agência Lusa, o delegado sindical Pedro Silvério disse que "há três anos" que os trabalhadores alertam para a falta de segurança de alguns dos espaços da cadeia, como a sala de visitas e o refeitório, onde há cadeiras que facilmente podem ser usadas como armas de arremesso.

"Um dos colegas foi parar ao hospital por ter levado com uma cadeira na cabeça", contou, na sequência do incidente, que causou ferimentos em pelo menos quatro guardas, quando intervinham para debelar uma rixa entre reclusos.

Para o delegado sindical, as alterações necessárias para "garantir o bom funcionamento" da cadeia são fáceis de resolver: "é preciso é haver vontade". Por isso, os guardas prisionais de Custóias (Matosinhos) ponderam agora recorrer à greve como forma de protesto, decisão que deverá ser tomada ao longo do próximo mês. Pedro Silvério referiu ainda a necessidade de reforço de efectivos no estabelecimento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG