ASAE apreende material em 'stands' em Vilar de Perdizes

Uma equipa da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu hoje algum material nos 'stands' do Congresso de Medicina Popular de Vilar de Perdizes, aplicando diversas coimas, disse fonte da organização.

Segundo Fátima Crespo, co-organizadora do congresso, a fiscalização estendeu-se a restaurantes e residenciais daquela localidade do concelho de Montalegre. No certame encontram-se 'stands' de videntes, massagistas, exorcistas, médiuns, comerciantes de chás e licores, além de barracas de 'comes e bebes'. Outra fonte, que não quis ser identificada e que disse ter presenciado a actuação da ASAE, contou que quatro fiscais - dois homens e duas mulheres - simularam ser meros casais de visitantes, fazendo perguntas nos diversos 'stands', antes de se identificaram como membros do órgão de polícia criminal e actuarem como tal.

Expositores que se aperceberam da acção de fiscalização fecharam os 'stands', disse a fonte, acrescentando que alguns reabriram mais tarde, mas outros preferiram não o fazer, temendo nova fiscalização. Um expositor optou mesmo por produzir um cartaz com os dizeres "Por motivos de fiscalização, encontramo-nos encerrados".

O Congresso de Medicina Popular de Vilar de Perdizes, este ano em 25.ª edição, inicia-se quinta-feira e prolonga-se até domingo, tendo como principal impulsionador o padre António Fontes.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG