Ministro da Educação nega atraso na entrega do relatório para o debate do Orçamento

Partidos da oposição dizem que só ontem o relatório foi entregue, ministro garante que tudo foi cumprido a tempo

O debate do Orçamento da Educação para 2017 está para já a ser marcado por críticas dos partidos da direita ao "atraso" do Ministério na disponibilização do relatório do OE, que só ontem, pelas 12:15, terá ficado disponível para os deputados. E também pela acusação de que as verbas para o próximo ano revelam "um embuste" na promessa de investimento no setor.

Questionado pela deputada Nilza de Sena (PSD) sobre o alegado atraso na entrega do documento, o ministro Tiago Brandão Rodrigues não a confirmou, defendendo de uma forma peculiar - que gerou o desagrado dos social-democratas - que a deputada teria tido tempo de ler o documento: "Acredito que não tenha ocupado toda a madrugada a fazê-lo, porque está aqui com um ar fresco".

Já em relação à discussão sobre se as verbas do orçamento representam ou não um reforço, o deputado socialista Porfírio Silva recorreu aos evangelhos, mais concretamente a Lucas 6:41, para indiretamente acusar o PSD de hipocrisia: "Porque miras o cisco no olho do teu irmão e não te dás conta da trave que está no teu próprio olho".

Ex-ministra diz que há buraco de 450 milhões para despesas com pessoal

A ex-ministra da Educação, Margarida Mano, acusou o atual titular da pasta, Tiago Brandão Rodrigues, de se prestar a "um exercício de faz de conta", ao apresentar um orçamento para 2017 em que, pelas contas da agora deputada do PSD, os recursos afetos ao pessoal "reduzem aproximadamente 450 milhões", equivalentes a 15 mil professores".

"O senhor ministro faz nesta Assembleia um exercício de faz de conta para tentar esconder o que de facto representa este orçamento para a Educação", acusou, "e mais preocupante, está convencido que é esse o seu papel enquanto ministro da Educação".

O deputado "poiquilotérmico"

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, chamou "poiquilotérmico" ao deputado do PSD Duarte Marques, numa altura em que este estava a interromper a intervenção do governante com vários comentários.

"Vejo que o senhor deputado é suficientemente poiquilotérmico para aguentar isto. Mas eu tenho mais dificuldades", disse Brandão Rodrigues.

"Poiquilotérmicos" são animais designados como sendo de "sangue frio", pelo que a observação do ministro até pode ser considerada um elogio. Desde que não se façam comparações com os animais que possuem esta característica...