Ministério exige inquérito. Ninguém viu a vítima porquê?

Uma mulher esteve quase três horas sem assistência no acidente de ontem no acesso à Ponte Vasco da Gama. Acabou por morrer

O Ministério da Administração Interna ordenou à Proteção Civil a realização de um inquérito para apurar responsabilidades pela demora na assistência a uma mulher que ficou encarcerada no interior da sua viatura, no choque em cadeia, ontem de manhã, na A12.

A mulher, de 55 anos, só foi detetada já durante a remoção dos carros acidentados e enquanto as equipas de desencarceramento trabalhavam noutras viaturas. Acabou por morrer, apesar de ainda ter sido alvo de manobras de suporte avançado de vida.

A Proteção Civil não conseguiu ontem justificar a situação.

A ordem foi dada ontem ao final do dia pelo secretário de estado da Administração Interna, Jorge Gomes, ao presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil, major-general Francisco Grave Pereira, para que se apurem as circunstâncias em que foi prestado o socorro no acidente ocorrido na A12, explicou ao DN fonte oficial do Ministério da Administração Interna.

Exclusivos