Ministério desmente corte de mil turmas

Secretária de Estado Alexandra Leitão esclarece que o número - que já tinha avançado em maio ao DN - se refere apenas a projeções demográficas.

A secretária de Estado da Educação, Alexandra Leitão, desmentiu esta tarde no Parlamento ter admitido uma redução de mil turmas no próximo ano letivo, esclarecendo estar a referir-se apenas a projeções demográficas elaboradas pelo anterior governo.

Refira-se que as projeções em causa já tinha sido mencionadas pela secretária de Estado na entrevista que deu ao DN a 18 de maio.

Desta vez, o tema voltou a surgir a propósito de uma resposta da governante ao deputado social-democrata Duarte Marques, durante a audiência da equipa do Ministério da Educação na Comissão de Educação e Ciência, levando mesmo o jornal Público a noticiar, na sua edição online, que o ministério "admite" esta redução.

Mas Alexandra Leitão esclareceu, na própria comissão, que neste momento é impossível estimar a evolução do número de turmas nas escolas públicas no próximo ano letivo: "O processo de validação de turmas está em curso e termina no final de julho", explicou. "Até lá é abusivo falar em aumento ou redução de turmas", acrescentou. "Obviamente não sabemos quantas turmas haverá", disse ainda, admitindo que as escolas públicas poderão beneficiar da redução dos contratos de associação com o ensino privado: "Até espero que haja um aumento, por via dos alunos que vêm do ensino particular".

A audiência ficou também marcada pela discussão em torno dos atrasos nas verbas para o ensino artístico e profissional, com os partidos da direita a criticarem o governo e este, nomeadamente o ministro, a responsabilizar o seu antecessor, Nuno Crato, pelas dificuldades existentes.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG