Metro de Lisboa lança plataforma digital de solidariedade

Plataforma REDE procura unir os que mais precisam com os que pretendem ajudar voluntariamente

O Metropolitano de Lisboa anunciou hoje o lançamento da plataforma REDE -- Renascer, Erguer, Dedicar e Envolver, que pretende ligar os que mais precisam com aqueles que, de forma voluntária, querem ajudar.

Em colaboração com a empresa de soluções multiplataformas Create It, o Metro de Lisboa assume o seu compromisso na promoção de uma estratégia empresarial no domínio da responsabilidade social e da cidadania. A plataforma surgiu no contexto do apoio à reconstrução das áreas atingidas pelos incêndios ocorridos em Portugal em outubro de 2017, tendo Oliveira do Hospital como concelho pioneiro. Pretende-se, agora, que mais concelhos entrem na REDE, registando as suas necessidades.

Deste modo, a REDE torna-se num mercado solidário que pretende ligar, de forma digital, os dadores -- todos os que queiram contribuir, sejam particulares ou entidades publicas, coletivas ou privadas -- e as entidades beneficiárias -- como autarquias ou Instituições Particulares de Solidariedade Social -- que registam na plataforma os bens e serviços necessários à população que ajudam.

De acordo com a informação divulgada pelo Metro de Lisboa, o aumento de entidades beneficiárias e doadoras, mesmo fora do contexto inicial do projeto, proporciona "uma nova ambição", esperando-se o seu crescimento para uma dimensão nacional, como uma ferramenta solidária útil e credível, quer nos cenários de pós-catástrofe, quer no quotidiano, sendo uma plataforma aberta à comunidade.

A REDE pretende assim facilitar a satisfação das necessidades registadas pelas entidades beneficiárias que publicam e atualizam os respetivos anúncios, permitindo aos doadores conhecer quais os bens e serviços mais necessários e urgentes em cada momento e, de forma simples, contactar a entidade beneficiária e combinar a entrega do bem ou serviço que pretende doar.

Através da REDE será igualmente possível o reforço do tecido empresarial nas zonas mais necessitadas. Para esse efeito, pode existir na plataforma redesolidaria.pt uma listagem de fornecedores com capacidade produtiva, gerida pelos concelhos, para que possam ser selecionados e contratados.

Exclusivos

Premium

Liderança

Jill Ader: "As mulheres são mais propensas a minimizarem-se"

Jill Ader é a nova chairwoman da Egon Zehnder, a primeira mulher no cargo e a única numa grande empresa de busca de talentos e recursos. Tem, por isso, um ponto de vista extraordinário sobre o mundo - líderes, negócios, política e mulheres. Esteve em Portugal para um evento da companhia. E mostrou-o.

Premium

Viriato Soromenho Marques

Madrid ou a vergonha de Prometeu

O que está a acontecer na COP 25 de Madrid é muito mais do que parece. Metaforicamente falando, poderíamos dizer que nas últimas quatro décadas confirmámos o que apenas uma elite de argutos observadores, com olhos de águia, havia percebido antes: não precisamos de temer o que vem do espaço. Nenhum asteroide constitui ameaça provável à existência da Terra. Na verdade, a única ameaça existencial à vida (ainda) exuberante no único planeta habitado conhecido do universo somos nós, a espécie humana. A COP 25 reproduz também outra figura da nossa iconografia ocidental. Pela 25.ª vez, Sísifo, desta vez corporizado pela imensa maquinaria da diplomacia ambiental, transportará a sua pedra penitencial até ao alto de mais uma cimeira, para a deixar rolar de novo, numa repetição ritual e aparentemente inútil.