Metade das viaturas da PSP/Porto inoperacionais por falta de verba

A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) denunciou hoje, no Porto, que 50% das viaturas do Comando Metropolitano da PSP do Porto estão inoperacionais por falta de verbas para proceder à respetiva reparação.

"Cerca de 50% das viaturas que estão distribuídas ao Comando Metropolitano da PSP do Porto não estão em funcionamento", estando "inoperacionais" por diversas razões, inclusivamente por "falta de peças e verba para proceder à respetiva reparação", alertou hoje Miguel Neto, secretário nacional da ASPP/PSP do Porto.

À margem de uma reunião que elementos da ASPP/PSP do Porto tiveram hoje com deputados do PSD pelo círculo do Porto, Miguel Neto afirmou que neste momento há um "problema grande de falta de viaturas", quer no Porto, que a nível nacional.

"Nós temos de facto essa falta de viaturas, quer por via de não terem sido compradas viaturas em número suficiente ultimamente, quer por termos muitas viaturas avariadas, o que implica uma constante troca de viaturas entre divisões policiais e, momentaneamente, ficam afetados os próprios serviços", explicou.

Miguel Neto alertou ainda que este ano vai existir um défice de 500 elementos da PSP a nível nacional, porque está previsto passarem para a pré-aposentação cerca de 800 elementos e "fala-se da entrada" de 300 agentes.

"Neste momento está previsto passarem para a pré-aposentação cerca de 800 elementos com base com o que está no estatuto profissional e fala-se da entrada de novos elementos que será, este ano, de 300 elementos, ou seja existe aqui um défice só neste ano de 500 elementos", declarou.

Para a ASPP/PSP do Porto, a entrada de novos agentes iria permitir não só um "rejuvenescimento do efetivo", mas também a "própria mobilidade para outros comandos", compensando o pessoal que está a sair para pré-aposentação

"Se não houver este rejuvenescimento, [por causa do] pessoal que está a sair para a aposentação e pré-aposentação em curto espaço de tempo -- estamos a falar de dois três anos -- vai haver uma redução bastante significativa do número dos elementos policiais", alertou.

Para o responsável, "no mínimo" teriam de entrar para a PSP um "número que compensasse aquele pessoal que vai sair para a pré-aposentação e para a aposentação, coisa que não está a acontecer neste momento".

Na semana passada, os deputados do CDS requereram que a ministra da Administração Interna dê explicações sobre a alegada falta de viaturas de serviço nas esquadras da PSP no Porto.

No requerimento, datado de quarta-feira e intitulado "Falta de viaturas de serviço nas esquadras da PSP no Porto", a que a agência Lusa teve hoje acesso, os deputados do CDS perguntam se a tutela tenciona tomar alguma diligência para "solucionar o problema".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG