Melhor gestão pouparia 742 milhões de euros ao SNS

Melhores hospitais conseguiram menos tempos de internamento, menos readmissões, menores gastos e mais cirurgias

Os hospitais de Cascais, Centro Hospitalar Gaia/Espinho, Hospital de Braga (também PPP), Centro Hospitalar do Porto e Unidade Local de Saúde de Matosinhos são os cinco vencedores do ranking TOP 5 da empresa espanhola IASIST. Entre os critérios avaliados estão a mortalidade, as complicações, custos e tempo de internamento. Se todos os hospitais conseguissem os mesmos valores, a poupança para o SNS seria o equivalente aos custos operacionais de sete hospitais.

Os hospitais top "conseguem ter mais qualidade com tempos de internamento mais curtos, fazem mais cirurgias de ambulatório com demora média mais baixa, têm menos readmissões e fazem mais com menos despesa", disse João Completo, da IASIST. O mesmo adiantou que se todos os hospitais tivessem o mesmo comportamento a poupança seria de 742 milhões de euros, "o equivalente aos custos operacionais de sete hospitais".

"Os dados mostram que se conseguirmos melhorar os hospitais no seu todo a poupança na despesa é muito elevada. Mostra que uma melhor gestão traz mais proveitos para depois usar no SNS", disse ao DN o secretário de Estado da Saúde Fernando Araújo. Sobre o financiamento poder refletir a liberdade de escolha, o responsável adiantou que os contratos programa para 2017 terão isso em conta.

"Os hospitais que atenderem mais doentes vão receber mais. Temos uma monitorização feita pela Administração Central do Sistema de Saúde, pelo que ao longo do ano vamos refletindo isso no financiamento mensal". Sobre a parceria público-privada do hospital de Cascais, que tem de ser definida até fim de dezembro, "estamos a discutir com as Finanças, a avaliar os relatórios efetuados e até ao final do ano vamos tomar uma decisão". Um dos relatórios em cima da mesa é da Unidade Técnica de Acompanhamento de Projetos do ministério das Finanças.

Vasco Pereira, presidente da administração do hospital de Cascais, disse achar que "estão reunidas as condições para que renovação possa acontecer. Existiram algumas reuniões exploratórias, mas nenhuma de lançamento para um processo formal de negociação". Se nada for dito até ao fim do ano o contrato é dado como não renovado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG