Marcelo recusa a coroa: "A República não é uma monarquia"

Presidente da República continua a querer passar a imagem de que é apenas um "servidor do povo"

Marcelo Rebelo de Sousa falou esta noite dos poderes presidenciais, defendendo que o papel do chefe de Estado "não é ser proprietário de poder político nenhum", mas sim "ser servidor do poder de todos". O Presidente entende assim a sua função como "um cargo de serviço, transitório, provisório", pois "a República não é uma monarquia".

Num discurso numa cooperativa em Freixo de Espada à Cinta, no âmbito do "Portugal Próximo", Marcelo defendeu a existência de uma unidade de missão para o interior, a acrescentar às que o governo já criou, que sirva para ajudar as terras mais longe do mar a recorrerem a fundos comunitários do Portugal 2020 e que una "o Estado as misericórdias, as IPSS, as juntas de freguesia, as câmaras municipais e entidades como cooperativas" para potenciar o interior.

Já em Alfândega da Fé, horas antes, Marcelo tinha dito que está a "tentar convencer o primeiro-ministro" a criar esta unidade de missão estatal para promover o interior. Após receber prendas da autarquia, Marcelo fez questão de mostrá-las ao povo, enquanto atirava: "Já perceberam que eu sou um Presidente um pouco especial."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG