Marcelo: "No que era decisivo ele foi sempre vencedor"

Presidente da República sublinha importância de preservar o legado de luta pela liberdade e pela justiça de Mário Soares, que considera uma luta pela "imortalidade" do que este deixou ao país

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, fez um breve mas sentido elogio de Mário Soares, o qual considerou "sempre vencedor" no que era decisivo. E assumiu em nome do país a responsabilidade de preservar a imortalidade do legado de "Liberdade" e "justiça" do antigo Chede de Estado.

Marcelo começou por lembrar a energia de Soares nas suas muitas lutas políticas: "No calor irrepetível no encontro com os portugueses nas presidências abertas, a alegria no diálogo com agentes da cultura, o sonho de um Timor-Leste independente, a presença na manifestação contra a intervenção no Iraque", enumerou, sublinhando "a partilha de todos estes e outros lances com Maria de Jesus Barroso, sua mulher e sua companheira de luta", desaparecida em 2015. "O homem era sempre o mesmo, a causa também a mesma: a liberdade", defendeu.

"Terminada a última pugna da sua vida, resta a Mário Soares, como fundador, travar o derradeiro combate, aquele em que estamos e estaremos todos com ele", prosseguiu: "o combate pela duradoura liberdade com justiça na nossa pátria comum, que o mesmo é dizer o combate da imortalidade do seu legado". Um combate que, assegurou, " iremos vencer, porque dele nunca desistiremos, tal como Mário Soares nunca desistiu de um Portugal livre, de uma Europa livre, de um mundo livre. E no que era decisivo ele foi sempre vencedor", finalizou.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG