Marcelo lança novo campus da Nova e desvaloriza polémica com terrenos

Presidente da República elogiou "excelência" da escola onde deu aulas e o presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, relativizando a polémica dos terrenos de Carcavelos

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, plantou hoje a primeira árvore do novo campus da Escola de Economia e Gestão da Universidade Nova - Nova School of Business and Economics (NSBE) , em Carcavelos, elogiando a "aposta" do que classificou como uma escola de excelência e desvalorizando os problemas que a Câmara de Cascais ainda enfrenta com os proprietários aos quais o terreno foi expropriado.

Além dos muitos elogios à NSBE, onde deu aulas de Ciência Política durante dois anos, Marcelo foi igualmente generoso nas palavras em relação ao autarca de Cascais, Carlos Carreiras, que definiu como "um grande presidente da Câmara", que saberá ultrapassar "as dificuldades" relativas à obra em causa, nomeadamente as relacionadas com decisões judiciais.

Recorde-se que o terreno com cerca de 10 hectares, localizado entre o Forte de São Julião da Barra e a Urbanização de São Gonçalo, foi expropriado por 162 144 euros, tendo em vista a cedência à Universidade Nova, mas um tribunal arbitral veio entretanto determinar o valor das indemnizações de cerca de 8,5 milhões de euros, verba que nem a autarquia nem os representantes dos proprietários aceitaram.

Aos jornalistas, Carlos Carreiras começou hoje por negar que a autarquia tenha atuado sem preocupar-se em falar com os antigos donos, revelando que a câmara "tentou falar com estes" mas deparou-se com "outros interesses económicos" que inviabilizaram a negociação. "O proprietário estava e está com graves problemas económicos, os terrenos estavam com duplas e terceiras hipotecas e a única solução possível para nós executarmos aquilo que era um objetivo estratégico para o concelho era avançar para a expropriação", disse, garantindo que a câmara tem "saúde financeira" para lidar com o que venham a ser as decisões judiciais mas está também convicta de que o valor final a pagar será "substancialmente inferior" aos 8, 5 milhões.

Carreiras garantiu ainda que o processo em nada afetará a cedência à Nova dos direitos de superfície dos terrenos, porque a câmara já "é proprietária" dos terrenos.

O Novo campus da NSBE deverá estar concluído em 2018, envolvendo um investimento de 50 milhões de euros, cujo financiamento não está ainda assegurado a 100%, decorrendo ainda uma recolha de fundos. Na cerimónia desta terça-feira estiveram presentes vários dos mecenas privados do projeto, nomeadamente Alexandre Soares dos Santos, antigo CEO do grupo Jerónimo Martins, que dará o seu nome e o da sua mulher a uma biblioteca localizada no campus.

A NSBE e a Câmara de Cascais estão em negociações sobre a possível ocupação de um edifício camarário, a três quilómetros do novo campus, onde será instalado um centro de empreendedorismo.

Carlos Carreiras defendeu que um dos objetivos estratégicos da câmara de Cascais é ter 20 mil estudantes universitários no concelho em 2020.

A NSBE tem mais de 3000 alunos - 42% dos quais estrangeiros - e a nova escola, em frente à praia de Carcavelos, terá capacidade para acolher cinco mil estudantes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG