Luís Filipe Vieira escutado na "Operação Marquês"

Conversa do presidente do Benfica com presidente da SAD do Belenenses, Rui Pedro Soares, foi considerada como tendo "alguma relevância" para o processo

O presidente do Benfica é um dos apanhados nas 80 mil escutas telefónicas do processo "Operação Marquês", que envolve José Sócrates, por suspeitas de corrupção, fraude fiscal de branqueamento de capitais. Luís Filipe Vieira não foi o alvo direto da escuta, mas uma conversa com Rui Pedro Soares, presidente da SAD do Belenenses, este sim sob escuta, foi considerada como tendo "alguma relevância" para o processo.

Segundo informações recolhidas pelo DN, a conversa em causa mais não será do que o agendamento de uma reunião entre os dois dirigentes do futebol e Carlos Santos Silva, amigo de Sócrates e também arguido no caso. Aparentemente, o tema da conversa seriam negócios, uma vez que Vieira ter-se-á mostrado interessado em saber junto de Rui Pedro Soares quais as atividades empresariais de Santos Silva no estrangeiro. A Autoridade Tributária terá feito um resumo do conteúdo da chamada, incluindo-o no processo.

Luís Filipe Vieira não será o único dirigente desportivo com conversas transcritas no processo. Ao que o DN apurou, também uma conversa entre Rui Pedro Soares e Nuno Lobo, presidente da Associação de Futebol de Lisboa, foi classificada "com alguma relevância" para a investigação. E o que terão dito ambos? Um problema sobre jogos da Taça de Honra. O presidente da SAD do Belenenses também terá várias conversas suas com empresários de jogadores, discutindo compras e vendas de atletas, resumidas no processo. Todas estas escutas, segundo a Autoridade Tributária, tinham "alguma relevância" para a investigação da "Operação Marquês".

Este processo, além de José Sócrates e Carlos Santos Silva, tem como arguidos João Perna, Gonçalo Ferreira, Joaquim Barroca, Armando e Bárbara Vara, Paulo Lalanda de Castro, Inês do Rosário, Diogo Gaspar Ferreira e Rui Mão de Ferro.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG