JSD compara António Costa a um Angry Bird

Novo cartaz inspira-se no jogo para smartphones. JSD pede ao primeiro-ministro para acabar com as brincadeiras

"Portugal não é para brincadeiras de esquerda!", diz um novo cartaz da JSD Distrital do Porto, no qual António Costa é comparado a um Angry Bird, tal como Catarina Martins, porta-voz do Bloco de Esquerda, e Jerónimo de Sousa, Secretário-geral do PCP. Uma crítica ao Governo e aos partidos de esquerda que o apoiam, cujas políticas, considera a distrital, têm destruído o emprego, a competitividade e as exportações.

Num comunicado, a JSD Distrital do Porto "pede a António Costa para acabar com as brincadeiras comandadas pela esquerda, que têm prejudicado Portugal e, em especial, a Região Norte e o Distrito do Porto". Exorta ainda "António Costa a libertar-se das amarras ideológicas dos seus parceiros de esquerda, a esquecer a ideia de que as vacas podem voar e a seguir um novo rumo - que seja realista, a favor do desenvolvimento económico e a pensar no futuro dos mais jovens".

A JSD Distrital do Porto diz-se "preocupada com o rumo seguido pelo Governo Socialista e com o seu impacto negativo no desenvolvimento económico do país, em especial na Região Norte" e acusa o primeiro-ministro de estar a governar "a reboque do cooperativismo de esquerda, dirigido pelas centrais sindicais e refém do Bloco de Esquerda (BE) e do Partido Comunista Português (PCP)".

Lembrando que Portugal desceu 3 lugares no índice mundial de competitividade, a JSD Distrital do Porto considera que a Região Norte, "que é considerada o motor da economia portuguesa, está a ser vítima de uma ideologia política que não é amiga do investimento privado, do desenvolvimento económico sustentável e do sistema de livre iniciativa".

Na semana passada, um outro cartaz da JSD comparava Mário Nogueira, secretário-geral da Fenprof, a Estaline, e o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, a uma marioneta. "Isto Stalin(do), está!" era o título do cartaz virtual, com a pergunta "foi nisto que votou?", seguindo-se "coligação de esquerda" e os símbolos de PS, BE, PCP e PEV.

A Fenprof decidiu processar a JSD devido a este cartaz, o que levou a Juventude Social Democrata a acusar Mário Nogueira de "conviver mal com a liberdade alheia".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG