Investigadora defende exames nacionais uma hora mais tarde

Ritmo biológico Ana Allen Gomes, da Universidade de Aveiro, explica que tendência natural na adolescência é não acordar cedo

Para que os alunos tenham o melhor rendimento possível, os exames nacionais do ensino secundário devem começar ma realizar-se "pelo menos" uma hora mais tarde do que acontece atualmente, em que a esmagadora maioria dos testes se inicia às 09.30. Quem o defende é Ana Allen Gomes, psicóloga, especialista em distúrbios do sono e investigadora da Universidade de Aveiro, segundo a qual a "matutinidade" das provas está em "contradição com aquilo que é a tendência oposta na puberdade", pela fisiologia humana, para adormecer e acordar mais tarde.

O conhecimento científico sobre este tema, diz a investigadora numa nota divulgada pela Universidade de Aveiro (UA), "permite afirmar com segurança que os exames para alunos que já entraram na puberdade não se devem iniciar logo nas primeiras horas da manhã. Estes poderiam e deveriam começar a partir das 10.30, e não antes, no caso de exames de uma hora e meia, acrescidos de tolerância para estudantes com necessidades educativas especiais".

O ideal seria às três da tarde

Ana Allen Gomes diz que o favorecimento das provas de manhã, "como em geral sucede", não tem qualquer base científica que o suporte. Pelo contrário, acrescenta, o que existe é "investigação que sustenta a marcação de exames, a partir da adolescência, para o período da tarde, com início às 15.00".

A investigadora do Departamento de Educação e Psicologia da UA não resume estas recomendações aos exames, considerando que também os horários letivos "deixam de estar ajustados", em especial a partir do 2.º ciclo do ensino básico. "Não se compreende por que motivo, à medida que a criança se torna mais velha e se aproxima da puberdade, os horários escolares se iniciem mais cedo".

Com a entrada na puberdade, explica, "a tendência é de atraso do sistema circadiano [que pode resumir-se como o ciclo biológico ao longo das 24 horas do dia], como é exemplo o ritmo sono-vigília, com tendência para o adolescente se deitar e levantar mais tarde", do que até essa altura

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG