Plástico das praias vai ser transformado em equipamentos desportivos

Iniciativa vai decorrer em 14 praias de norte a sul do país. Tem o apoio institucional da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e da Quercus

Se na próxima vez que for à praia se deparar com um depósito gigante de plástico, não estranhe. É lá que deve colocar os resíduos plásticos que encontrar, ou mesmo os que levar de casa, para que sejam transformados em equipamentos de atividade física, que posteriormente vão ser colocados na praia.

É esta a promessa do projeto "TransforMAR", uma iniciativa do Lidl Portugal, da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) e da Associação Portuguesa de Gestão de Resíduos (Amb3e), apresentada hoje, às 16.00, junto à praia do CDS, na Costa da Caparica. A ação decorre de 15 de junho a 19 de agosto, em 14 praias de norte a sul do País, e conta com o apoio institucional da Agência Portuguesa do Ambiente e da Quercus.

"O objetivo é sensibilizar as pessoas que estão na praia para a necessidade de recolha e separação do plástico. Oitenta por cento da poluição marinha é plástico. É urgente reduzir o consumo", diz ao DN Catarina Gonçalves, coordenadora nacional do Programa Bandeira Azul.

O depósito - "plasticódromo" - será colocado à entrada da praia e convida a que os veraneantes ali coloquem os resíduos plásticos, evitando que o seu destino final seja o mar. Ficará, em média, três dias em cada praia e tem a particularidade de dar a conhecer à comunidade o número de artigos recolhidos por hora e o respetivo peso em quilogramas, ao final do dia.

Mais plástico, mais equipamentos

Posteriormente, o plástico recolhido "será levado para reciclagem e transformado em equipamentos integrados de atividade física" para equipar as respetivas praias. Quer isto dizer, frisa a organização, que "quanto mais se reciclar mais a praia irá ganhar".

Além da praia do CDS, na Costa da Caparica, o "plasticódromo" vai passar por outras 13 praias: Leça da Palmeira, Matosinhos, Baía (Espinho), Furadouro (Ovar), Aguda (Vila Nova de Gaia), Relógio (Figueira da Foz), Carcavelos, Santo Amaro (Oeiras), CDS (Almada), Armação de Pêra (Silves), Rocha (Portimão), Pescadores (Albufeira) e Quarteira (Loulé).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.