Ministério quer que prova pioneira ajude a melhorar educação física

Alunos do 2.º ano estreiam provas de Expressões. Tutela espera detetar algumas fragilidades e que r que estas sirvam para rever práticas nas escolas

Pela primeira vez na Europa toda uma geração de estudantes - no caso os alunos portugueses do 2.º ano - será sujeita a uma prova de Educação Física. O Ministério da Educação admite que a avaliação de expressão físico-motora, integrada nas aferições de Expressões do 1.º ciclo, revela fragilidades na preparação dos alunos nesta área. Mas isso, defendeu o secretário de Estado da Educação, João Costa, será o ponto de partida para melhorar práticas.

"Temos recebido impressões, nas reuniões que temos feito, incluindo com os professores de Educação Física, que vão exatamente no sentido de que esta área específica do currículo não tem sido muito trabalhada", admitiu João Costa, num encontro com jornalistas no Ministério da Educação. "Mas até agora têm sido impressões. A partir de agora vamos ter dados sistemáticos sobre o que existe", acrescentou.

Há já um mês que o Instituto de Avaliação Educativa (IAVE) tem online um conjunto de recursos para a preparação dos testes - que não contam para a nota -, desde um "mapa" do percurso de exercícios que será montado a uma lista de materiais a utilizar e um vídeo - desenvolvido em articulação com professores de Educação Física - ilustrando os exercícios que os alunos terão de fazer.

O aparato tem gerado apreensão em alguns agrupamentos sem ginásios nas suas escolas-sede ou aos quais faltam alguns materiais. Mas João Costa defendeu que a questão tem sido gerida com "tranquilidade", com a ajuda "das câmaras municipais". Para o secretário de Estado, "o problema não é [essas escolas] não terem [material] para a prova". O problema, considerou, é que isso significa "que não o têm para o desenvolvimento do currículo". E essa será outra das questões a rever no futuro.

As provas, organizadas turma a turma, decorrem entre 2 e 9 de maio. Nesta quinta-feira será divulgado online o "guião" dos testes - que só costuma ser revelado após a avaliação. Isto, explicou o diretor do IAVE, Helder de Sousa, para garantir que todos os alunos têm a mesma informação antes dos testes. E também porque não é expectável que, em provas que avaliam sobretudo a aquisição de competências físico-motoras, este conhecimento prévio do teste faça a diferença nos desempenhos.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.

Premium

Maria do Rosário Pedreira

Os deuses das moscas

Com a idade, tendemos a olhar para o passado em jeito de balanço; mas, curiosamente, arrependemo-nos sobretudo do que não fizemos nem vamos já a tempo de fazer. Cá em casa, tentamos, mesmo assim, combater o vazio mostrando um ao outro o que foi a nossa vida antes de estarmos juntos e revisitando os lugares que nos marcaram. Já fomos, por exemplo, a Macieira de Cambra em busca de uma rapariga com quem o Manel dançara um Verão inteiro (e encontrámo-la, mas era tudo menos uma rapariga); e, mais recentemente, por causa de um casamento no Gerês, fizemos um desvio para eu ir ver o hotel das termas onde ele passava férias com os avós quando era adolescente. Ainda hoje o Manel me fala com saudade daqueles julhos pachorrentos, entre passeios ao rio Homem e jogos de cartas numa varanda larga onde as senhoras inventavam napperons e mexericos, enquanto os maridos, de barrigas fartas de tripas e francesinhas no ano inteiro, tratavam dos intestinos com as águas milagrosas de Caldelas. Nas redondezas, havia, ao que parece, uma imensidão de campos; e, por causa das vacas que ali pastavam, os hóspedes não conseguiam dar descanso aos mata-moscas, ameaçados pelas ferradelas das danadas que, não bastando zumbirem irritantemente, ainda tinham o hábito de pousar onde se sabe.