Aulas suspensas em Montalegre devido à neve

Começou a nevar à meia noite e esta manhã decidiu-se que não haveria aulas

As atividades letivas foram hoje suspensas em Montalegre por precaução devido à queda de neve que se verificou durante a noite, deixando em casa cerca de 700 alunos, disse fonte da Proteção Civil Municipal.

David Teixeira, vereador da Proteção Civil de Montalegre, disse que começou a nevar cerca das 00:00 e que os meios da autarquia e dos bombeiros estão espalhados pelo terreno a limpar e a espalhar sal para que todas as estradas fiquem transitáveis.

Por uma questão de precaução e pela dificuldade na circulação dos transportes escolares e dos professores, foi decidido, esta manhã suspender, as atividades letivas.

Desde o final de fevereiro, este é o terceiro nevão que cai sobre Montalegre e que afeta o funcionamento das escolas.

Frequentam o Agrupamento de Escolas Doutor Bento da Cruz, em Montalegre, cerca de 700 alunos espalhados pelo centro escolar (primeiro ciclo e pré-escolar) e escola básica e secundária Doutor Bento da Cruz.

O concelho está preparado para estas situações e dispõe de vários de veículos dos bombeiros e câmara para limpar a neve das estradas e também espalhar sal.

Quando é necessário, o município contratualiza ainda com particulares a utilização de tratores, também com equipamento adaptado, que vão para as estradas ajudar nas operações de limpeza.

A neve e as paisagens pintadas de brancas são também uma atração turística que leva muitos visitantes a este concelho do Norte do distrito de Vila Real.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Globalização e ética global

1. Muitas das graves convulsões sociais em curso têm na sua base a globalização, que arrasta consigo inevitavelmente questões gigantescas e desperta paixões que nem sempre permitem um debate sereno e racional. Hans Küng, o famoso teólogo dito heterodoxo, mas que Francisco recuperou, deu um contributo para esse debate, que assenta em quatro teses. Segundo ele, a globalização é inevitável, ambivalente (com ganhadores e perdedores), e não calculável (pode levar ao milagre económico ou ao descalabro), mas também - e isto é o mais importante - dirigível. Isto significa que a globalização económica exige uma globalização no domínio ético. Impõe-se um consenso ético mínimo quanto a valores, atitudes e critérios, um ethos mundial para uma sociedade e uma economia mundiais. É o próprio mercado global que exige um ethos global, também para salvaguardar as diferentes tradições culturais da lógica global e avassaladora de uma espécie de "metafísica do mercado" e de uma sociedade de mercado total.