Lisboa gasta 650 mil euros na passagem de ano

Só em cartolas para distribuir nas ruas serão gastos 57 mil euros

As festas de fim de ano vão custar 650 mil euros a Lisboa, avança hoje o jornal i. A EGEAC (Empresa Municipal de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural), que está a organizar o evento, confirmou o valor a esta publicação. Do valor total, 57 mil euros serão para cartolas para distribuir nas ruas.

Estão a ser preparados três dias de festa para os lisboetas celebrarem o fim de 2017 e o início de 2018 no Terreiro do Paço, com entrada livre. Dia 29, às 22:00, há um concerto de Ana Moura, e no dia seguinte, à mesma hora, atuam Lura e Bonga. A 31, a festa começa, também às 22:00, com Marta Ren & The Groovelvets e continua com os Capitão Fausto. À meia-noite há fogo-de-artifício com música dos Beatbombers e segue-se um concerto que junta Ana Bacalhau, Ana Deus, Lena d"Água, Luís Portugal, Miguel Ângelo, Rui Pregal da Cunha, Samuel Úria, Viviane e Xana.

Segundo o jornal i, que cita o portal de contratação pública Base.gov, os concertos de Capitão Fausto e este que marca o arranque de 2018 são o investimento mais caro da câmara: mais de 137 mil euros (sem IVA). Segue-se o espetáculo de pirotecnia, que ronda os 74 mil euros.

A Madeira terá o fogo-de-artifício mais caro do país, segundo o i: 800 mil euros.

O Porto ainda não publicou qualquer dado acerca do investimento feito para as festas de fim de ano.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.