Lisboa ganha óscar do turismo. É a Melhor Cidade Destino da Europa

Portugal ganhou 36 prémios nos World Travel Awards, tidos como os "Óscares" do turismo mundial

Na Gala Europa, que decorreu em Atenas e na qual Portugal arrecadou 36 prémios, o país revalidou o título conquistado em 2017, impondo-se aos restantes nomeados: Áustria, Inglaterra, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Noruega, Espanha, Suécia, Suíça e Turquia.

Presente na cerimónia que teve lugar na noite deste sábado, a Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, considerou que "receber o 'óscar' de Melhor Destino Europeu pelo segundo ano consecutivo é algo que enche de orgulho e prova que Portugal continua no top das preferências dos turistas internacionais".

"Estes resultados mostram que a nossa estratégia está claramente a dar frutos e que o mundo olha para Portugal como um exemplo, e também nos motivam para continuarmos o trabalho de qualificação da oferta e dos destinos, alargando o turismo a todo o território e ao longo de todo o ano, tornando-o cada vez mais sustentável", acrescentou a governante, citada em comunicado.

A longa lista de 'óscares' para Portugal inclui ainda o Melhor Destino Citadino da Europa para Lisboa, que, pelo terceiro ano consecutivo, conseguiu o galardão como Melhor Porto de Cruzeiros.

Na competição das cidades, Lisboa ficou à frente de Amesterdão, Barcelona, Londres, Paris, Roma e Veneza, um feito inédito já destacado pelo diretor-geral da Associação Turismo de Lisboa, Vítor Costa."A conquista de Melhor Cidade Destino da Europa é histórica para Lisboa, pois já recebemos inúmeros prémios, mas este ainda não tinha sido conquistado. O facto de estarmos a estabelecer os níveis de qualidade a que outras cidades devem aspirar, deixa-nos muito orgulhosos do trabalho que tem sido feito ao longo dos anos", acrescentou o dirigente, também num comunicado.

Em 2017, a capital portuguesa recebeu um total de 521 mil passageiros de cruzeiros, segundo o Turismo de Lisboa, que acrescentou que a "expectativa é que esse número possa aumentar este ano, sobretudo o de passageiros que começam ou acabam o cruzeiro na capital portuguesa".

No final do ano passado, Lisboa tinha sido distinguida nos 'óscares' como Melhor Destino Mundial para City Break.

Madeira e Passadiços do Paiva

A longa lista de distinções conquistadas, a nível europeu, este sábado por Portugal inclui ainda o melhor destino insular, através da Madeira, e melhor organismo de turismo europeu, pelo Turismo de Portugal.

Os Passadiços do Paiva conquistaram os 'óscares' em termos de melhores destinos europeus de aventura e projeto de desenvolvimento, tendo a TAP sigo distinguida pelas ligações à África e América do Sul, assim como a sua revista de bordo Up, enquanto 11 hotéis ultrapassaram os seus concorrentes europeus em diversas categorias.

A Grande Gala final destes 'óscares' decorrerá a 01 de dezembro, em Lisboa. Para o próximo ano será a Madeira a receber a gala das distinções a nível europeu.

Os World Travel Awards surgiram em 1993 para "reconhecer, premiar e celebrar a excelência entre os setores da indústria do turimo", define a própria organização na sua página de Internet.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

A ameaça dos campeões europeus

No dia 6 de fevereiro, Margrethe Vestager, numa só decisão, fez várias coisas importantes para o futuro da Europa, mas (quase) só os jornais económicos repararam. A comissária europeia para a Concorrência, ao impedir a compra da Alstom pela Siemens, mostrou que, onde a Comissão manda, manda mais do que os Estados membros, mesmo os grandes; e, por isso mesmo, fez a Alemanha e a França dizerem que querem rever as regras do jogo; relançou o debate sobre se a Europa precisa, ou não (e em que condições), de campeões para competir na economia global; e arrasou com as suas possibilidades (se é que existiam) de vir a suceder a Jean-Claude Juncker.

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.