Rede SIRESP esteve indisponível nove mil horas em 2017, diz ministro

Eduardo Cabrita diz que do número serão tiradas "sem demagogias as responsabilidades necessárias"

O ministro da Administração Interna adiantou esta quarta-feira no parlamento que o Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) esteve indisponível nove mil horas em 2017.

"O levantamento que foi feito aponta para 9000 horas de indisponibilidade da rede SIRESP em 2017, e daí tiraremos sem demagogias as responsabilidades necessárias", disse Eduardo Cabrita, durante a interpelação do CDS ao Governo sobre a "preparação da próxima época de incêndios".

O ministro não deu pormenores sobre este total de horas de indisponibilidade do SIRESP em 2017.

Contactado posteriormente pela agência Lusa, o Ministério da Administração Interna esclareceu que estas 9.000 horas correspondem ao somatório das falhas das várias estações da rede SIRESP.

O ministro deu conta de que estão a ser instaladas 451 antenas nas áreas consideradas de maior risco de incêndio, tendo sido já adquiridas as unidades móveis que vão integrar o SIRESP.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).