Incêndios. Indemnizações começam a ser pagas na próxima semana

Primeiro-ministro revelou este sábado que estão concluídos 25 processos e que as indemnizações serão pagas nos próximos dias

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou hoje que já estão concluídos 25 processos de indemnização relativos às vítimas mortais dos incêndios de 2017 e que o pagamento será feito pelo Ministério das Finanças durante a próxima semana.

Em declarações aos jornalistas, no final de uma visita ao Hospital de Santa Maria, em Lisboa, António Costa disse que a provedora de Justiça, Maria Lúcia Amaral, fez chegar ao seu gabinete, na sexta-feira, "primeiro, de manhã, os primeiros 16 processos que estavam concluídos, e ao fim do dia mais nove processos que estão concluídos".

"E foi proferido já o despacho para se proceder ao pagamento por parte do Ministério das Finanças, que ocorrerá durante a próxima semana, e, em segundo lugar, para a senhora ministra da Justiça transmitir à senhora procuradora-geral da República esses processos para eventual exercício do direito de regresso", acrescentou.

António Costa explicou que o direito de regresso será exercido "se vierem a ser identificadas responsabilidades que possam levar o Estado a exigir o direito de regresso destas indemnizações que adianta".

O primeiro-ministro disse que estes 25 processos concluídos são relativos "a 25 vítimas mortais".

Questionado sobre os valores já aprovados, respondeu que "essas informações serão transmitidas exclusivamente pela senhora provedora de Justiça", porque assim ficou estabelecido.

A Provedoria de Justiça fixa os montantes e o Governo procede ao pagamento, salientou António Costa: "A nós cumpre-nos exclusivamente executar aquilo que foi determinado pela senhora provedora e é isso que faremos".

Na sexta-feira à tarde, a Provedoria informou ter recebido até a esse dia um total de 88 requerimentos relativos a 46 vítimas mortais, tendo já apresentado propostas de indemnização aos familiares ou herdeiros ou demais titulares de 32 vítimas (os requerentes têm 30 dias para aceitar os termos propostos).

Os primeiros requerimentos deram entrada nos serviços da Provedoria a 14 de dezembro de 2017 e no final do processo de pagamento das indemnizações será divulgado o montante global das indemnizações pagas pelo Governo.

Os incêndios de junho, que começaram em Pedrógão Grande e Góis, e de outubro, que deflagraram em vários concelhos da região Centro, motivaram no seu conjunto mais de 110 mortes e centenas de feridos, além de avultados prejuízos materiais.

Ler mais

Exclusivos

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.