Médias caem e número de "chumbos" sobe a Português e Matemática

Reprovações a Matemática subiram quatro pontos, para 15%. Física e Química e Biologia e Geologia tiveram resultados melhores

As médias das notas nos exames nacionais de Português a Matemática desceram ligeiramente este ano, segundo os dados da 1.ª fase revelados esta quarta-feira pelo Ministério da Educação. Na prova de Português a média desceu de 11 para 10,8 e na de Matemática de 12 para 11,2. Por outro lado houve subidas importantes a Física e Química e Biologia e Geologia.

Para muitos dos jovens que esta quarta-feira receberam ou vão receber as notas, as notícias não são boas. Como seria de esperar, face a uma média mais baixa, a percentagem de reprovações nas disciplinas subiu: no caso de Português apenas um ponto percentual, para 7%, em Matemática quatro pontos, de 11 para 15%, a taxa mais alta de todas as disciplinas, mas ainda assim muito abaixo dos 22% de 2014. As reprovações, no caso dos alunos internos, resultam da conjugação da nota no exame com a nota interna, que reflete a avaliação contínua, dada pelo professor.

Nenhuma prova teve uma média abaixo dos 9,5 valores, uma novidade nos últimos anos

Aliás, os números referidos dizem respeito aos alunos internos, já que as percentagens de chumbos disparam no caso dos alunos autopropostos. No entanto, estes ainda são milhares no caso de Português e Matemática - mais de 19 mil e quase 14 mil, respetivamente. Para estes, a percentagem de reprovações é de 67% no caso da língua materna e 76% a Matemática, já que não há classificação interna a servir de "almofada".

Melhores resultados a Física e Química e Biologia e Geologia

Nas 22 disciplinas, 14 apresentam piores médias do que no ano passado, sete melhoram e uma fica igual. O Ministério da Educação salientou, no entanto, que as médias das classificações dos vários exames realizados pelos alunos internos do ensino secundário são todas iguais ou superiores a 9,5 valores.

A Física e Química, a terceira prova com mais alunos internos inscritos, a média subiu de 9,9 para 11,1. A percentagem de reprovações também desceu de 15% para 11%.

A média também subiu na prova de Biologia e Geologia - de 8,9 para 10,1, atingindo um valor positivo. Assim só oito por cento chumbaram em comparação com os 11% do ano passado.

A prova em que a média foi mais alta foi a de Inglês, que foi realizada apenas por 18 alunos - a média ficou nos 13,2. No extremo oposto está o exame de História, com uma média de 9,5 - realizada por 14 mil.

Os exames finais nacionais do ensino secundário foram realizados em 646 escolas em Portugal, bem como nas escolas no estrangeiro com currículo português. No processo de classificação das provas estiveram envolvidos cerca de 7620 docentes do ensino secundário e ainda cerca de 10 mil docentes vigilantes e pertencentes aos secretariados de exames das escolas.

Ler mais

Exclusivos