Diretor do Público demite-se

O jornalista David Dinis apresentou esta segunda-feira a sua demissão

O diretor do jornal Público, David Dinis, apresentou esta segunda-feira a demissão, na sequência da decisão da Administração do jornal de demitir o Diretor-adjunto Diogo Queiroz de Andrade. O DN sabe que houve um plenário de redação esta tarde.

David Dinis assumiu funções como diretor do Público no dia 1 de outubro de 2016.

A administradora do Público, Cristina Soares, comunicou a Diogo Queiroz de Andrade que a empresa prescindia dos seus serviços no primeiro dia do regresso de férias deste e no primeiro dia de férias do diretor agora demissionário.

O jornalista demitiu-se de diretor do Público argumentando que o afastamento do seu número dois foi feito à sua revelia e contra a sua opinião.

A administração ato contínuo convocou uma reunião do Conselho de Redação e David Dinis convocou um plenário.

O Conselho de Administração do Público confirmou depois ao final da tarde a demissão do diretor do jornal, David Dinis, na sequência do despedimento do diretor-adjunto Diogo Queiroz de Andrade.

"O Conselho de Administração do Público decidiu, nesta segunda-feira, e após um processo de reflexão ao longo das últimas semanas, prescindir dos serviços prestados por Diogo Queiroz de Andrade, que desempenhava as funções de responsável da área digital e de Diretor Adjunto do jornal", lê-se num comunicado. Segundo adianta a mesma fonte, "na sequência da comunicação hoje efetuada e anteriormente discutida, o Diretor do Público, David Dinis, apresentou a sua demissão".

No documento, o Conselho de Administração do Público agradece a David Dinis a "dedicação e profissionalismo", desejando ainda "votos de sucesso na sua vida pessoal e profissional" a Diogo Queiroz de Andrade.

A direção do Público é liderada por David Dinis e, além de Diogo Queiroz de Andrade, também Tiago Luz Pedro e Vítor Costa são diretores-adjuntos. Sónia Matos é diretora de Arte do diário.

O Conselho de Administração do Público é presidido por Ângelo Paupério, tendo como vogais Cláudia Azevedo e Cristina Soares.

O diário é detido pela Sonaecom.

Com Lusa

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.