Costa reeleito no cargo de secretário-geral com 95,3% dos votos

Eleições diretas pelos militantes socialistas realizaram-se na sexta-feira e sábado

António Costa foi reeleito secretário-geral do PS em eleições diretas pelos militantes socialistas na sexta-feira e sábado, tendo 95,3% dos votos contra 2,8% do ex-dirigente Daniel Adrião, quando estão apurados 92,7% do universo eleitoral.

Estes dados foram transmitidos à agência Lusa pelo presidente da Comissão Organizadora do Congresso (COC) do PS, Francisco César.

De acordo com o presidente da COC do PS, faltam ainda apurar os votos de 58 secções deste partido, sendo previsível que a percentagem de reeleição de António Costa possa ainda subir ligeiramente.

Francisco César adiantou que o universo eleitoral dos militantes socialistas com capacidade eleitoral, incluindo as regiões autónomas dos Açores e Madeira e as secções das federações da Europa e Fora da Europa, é de 49127.

Entre sexta-feira e sábado votaram nas eleições diretas para o cargo de secretário-geral do PS e na escolha dos delegados ao congresso 63,8% do total de militantes com capacidade eleitoral.

Para o Congresso Nacional do PS, que se realiza entre 3 e 5 de junho, na Feira Internacional de Lisboa, estiveram em disputa 1763 delegados.

Ao início da madrugada de hoje, era já certa a eleição de 21 delegados por parte do ex-dirigente socialista Daniel Adrião, sendo os restantes afetos a listas de apoio à moção de estratégia global de António Costa, intitulada "Cumprir a alternativa, consolidar a esperança".

Até ao encerramento da contagem, Daniel Adrião, primeiro subscritor da moção "Resgatar a democracia", espera ainda atingir um total de 24 delegados ao congresso.

Para a liderança do Departamento Nacional das Mulheres Socialistas, candidatou-se sem qualquer oposição a deputada do PS e ex-secretária de Estado Elza Pais, que obteve 88,7% dos votos. Já a lista para a Comissão Política afeta à candidatura de Elza Pais registou 85,33%.

Os resultados das eleições de delegados ao congresso nacional e das diretas para o cargo de secretário-geral do PS serão validados na segunda-feira pela Comissão Organizadora do Congresso.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.