250 casos suspeitos? DGS desconhece esse número

Diretora-geral de Saúde admite mais casos do que havia ontem, mas não nesta dimensão

Os casos suspeitos de sarampo em Portugal poderão ser mais de 250, segundo avança esta tarde a SIC, citando várias fontes. No entanto, a Direção-Geral de Saúde diz ao DN que desconhece tal número.

"Desconheço esse número. Não sei de onde veio esse número", disse Graça Feitas, diretora-geral de Saúde.

A responsável admite que hoje o número de casos suspeitos é superior ao avançado ontem, mas não quer especificar para "evitar duplicações". Além disso, garante que a atualização dos casos suspeitos nunca chegaria aos 250.

"Se esse número existisse nós saberíamos", garantiu. A próxima atualização oficial dos números relativos aos casos de sarampo em Portugal só será feita amanhã de manhã, numa conferência de imprensa no Porto.

O balanço mais recente, datado de ontem, dá conta de 87 casos suspeitos e 36 confirmados.

Um comunicado divulgado pela DGS refere que até às 18:00 de sábado "foram reportados, na Região Norte, 87 casos suspeitos de sarampo, a maioria dos quais com ligação ao Hospital de Santo António, no Porto".

"Dos 87 casos reportados, 36 foram confirmados laboratorialmente pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge e 25 foram infirmados; os restantes 26 casos aguardam resultado laboratorial", segundo o comunicado que indicava ainda que "todos os casos reportados são adultos, estando um internado em situação clínica estável".

A DGS recorda que o vírus do sarampo é transmitido por contacto direto com as gotículas infecciosas ou por propagação no ar, quando a pessoa infetada tosse ou espirra.

"Os doentes são considerados contagiosos desde 4 dias antes até 4 dias depois do aparecimento da erupção cutânea. Os sintomas de sarampo aparecem geralmente entre 10 a 12 dias depois da pessoa ser infetada e começam habitualmente com febre, erupção cutânea (progride da cabeça para o tronco e para as extremidades inferiores), tosse, conjuntivite e corrimento nasal", descreve a autoridade da área da saúde.

De acordo com o Expresso foi ainda reportado um caso suspeito de sarampo no Hospital de Braga, o qual ainda não foi confirmado laboratorialmente.

A RTP, por seu lado, avança um caso suspeito no Hospital de Coimbra: uma mulher de Pombal que deu entrada ontem.

Ler mais

Exclusivos