Força Aérea vai evacuar feridos do ataque terrorista em Gao

A aeronave militar portuguesa ao serviço da ONU no Mali vai ser empenhada na evacuação dos feridos.

O destacamento militar português ao serviço da ONU no Mali vai participar na evacuação das dezenas de feridos do ataque terrorista ocorrido esta quarta-feira em Gao, informou o Ministério da Defesa.

A aeronave militar C-130 opera a partir de Bamako e nesta altura ainda se desconhece para onde irá transportar os feridos a recolher em Gao, adiantou fonte oficial.

O ministro da Defesa, Azeredo Lopes, disse aos jornalistas, no final da audição parlamentar e com base em informações preliminares, que havia dezenas de mortes e feridos entre os membros da missão da ONU no Mali (MINUSMA).

Azeredo Lopes precisou ainda que a base onde o destacamento da Força Aérea opera, em Bamako, oferece "garantias de segurança".

Quanto à missão na República Centro Africana (RCA) e face às críticas de PSD e CDS sobre o grau de risco que apresentou inicialmente, Azeredo Lopes explicou que a ameaça aumentou relativamente ao estimado no início de 2016.

"É evidente que o risco é mais elevado" a partir de novembro, quando ocorreram ataques entre grupos rivais no centro da RCA, referiu o governante, que rejeitou as críticas de ter desvalorizado inicialmente os riscos a enfrentar pelos militares portugueses que vão operar como força de reação rápida da ONU em todo o país e ainda garantir a proteção dos efetivos da UE.

Certo é que PSD e CDS vão requerer a audição de responsáveis do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED) e do Centro de Informações e Segurança Militares (CISMIL) sobre essa temática.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG