Exame de Português: professora já foi notificada do processo disciplinar

Edviges Ferreira é suspeita da autoria da fuga de informação no exame nacional, apesar de negar ter cometido "qualquer falha ou irregularidade"

A presidente da Associação de Professores de Português (APP), Edviges Ferreira, já foi notificada do processo disciplinar que lhe foi instaurado pela Inspeção-Geral de Educação e Ciência (IGEC) por suspeita da autoria da fuga de informação no exame nacional de Português do 12º ano, avançou esta sexta-feira o semanário Expresso.

Ao DN, na quinta-feira passada, a professora negou que tenha sido a responsável pela fuga de informação e garantiu que não foi alvo de um processo disciplinar. "Não sei de nada", afirmou. O nome de Edviges Ferreira tinha sido avançado pelo Expresso e confirmado ao Público pelo presidente do Instituto de Avaliação Educativa, Helder de Sousa.

Questionada se teria sido a pessoa que passou as perguntas do exame a alguns alunos, a docente foi perentória: "Claro que não fui eu", disse, ao DN.

De acordo com o jornal Expresso, a docente é a presidente da Associação de Professores de Português, Edviges Ferreira, que leciona na secundária Rainha Dona Leonor, em Lisboa, e dá explicações a vários alunos de outros estabelecimentos, nomeadamente do ensino privado. O presidente do Instituto de Avaliação Educativa, Helder de Sousa, disse ao Público: "[Essa indicação] faz parte das informações que reportámos à IGEC".

Em comunicado, enviado no seguimento do contacto do DN, Edviges Ferreira garantiu que não recebeu nenhuma notificação da parte do Ministério da Educação.

"Não fui até hoje notificada de qualquer tipo de processo em que seja visada, relativo aos factos noticiados pelo jornal Expresso. Surpreende-me que o jornal tenha conhecimento de que supostamente me foi aberto um processo disciplinar, quando eu própria não tenho qualquer conhecimento de nenhum processo", refere.

A docente refuta ainda qualquer ligação ao caso: "Tenho 41 anos de carreira como professora, que falam por si, sempre sem qualquer mácula disciplinar. Obviamente, não cometi qualquer falha ou irregularidade", sublinha Edviges Ferreira.

Dias antes do exame de Português do 12º ano circulou nas redes sociais e no WhatsApp uma gravação que revelava exatamente o que ia sair no teste de avaliação nacional.

Além deste processo disciplinar, foi ainda instaurado um processo de inquérito ao Instituto de Avaliação Educativa, responsável pela elaboração das provas, para apurar se "os procedimentos estão a ser devidamente seguidos".

Paralelamente ao inquérito conduzido pela Inspeção-Geral de Educação está a decorrer uma investigação a cargo do Ministério Público, pedida pelo IAVE, que na altura remeteu à Procuradoria-Geral da República "todas as informações sobre o caso para efeitos de averiguação disciplinar e criminal".

Exclusivos