RTP confirma buscas. Ninguém foi constituído arguido

A sede da RTP foi alvo de buscas no seguimento de uma investigação sobre pagamentos da Águas de Santarém, que remontam a 2012. Em comunicado, a televisão garante que está a colaborar com a investigação

O Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Évora realizou buscas na sede da RTP, situada na Avenida Marechal Gomes da Costa, em Lisboa, terça-feira.

Em comunicado enviado às redações, a RTP confirmou "que o Juíz de Instrução Criminal de Évora mandou realizar buscas e apreensões na sede da empresa, durante esta manhã".

Segundo a estação pública, "a investigação reporta a factos de 2012 e encontra-se relacionada com a empresa municipal, Águas de Santarém, e com o programa da RTP 'Justiça Cega'".

De facto, segundo a SIC Notícias, a investigação estará relacionada com contratos assinados com Francisco Moita Flores, antigo presidente da Câmara Municipal de Santarém.

Moita Flores, presidente da Câmara Municipal de Santarém em 2012 e por inerência da Águas de Santarém, disse à Lusa estar de "consciência tranquila" sobre o pagamento à RTP que afirma ter sido "legal".

A RTP adianta no mesmo comunicado que "está a colaborar com as autoridades e que aguarda serenamente o decorrer da investigação".

Mais informa que ninguém no canal foi "constituído arguido".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG