Escolas sem dinheiro para luz e água

O orçamento deste ano, com cortes que chegam aos 20%, só chegou em junho, o que obriga escolas a poupar em cinco meses o que deveriam ter poupado num ano

As escolas estão sem dinheiro para as despesas correntes, como a água ou a eletricidade, avança hoje o Jornal de Notícias. De acordo com a publicação, os diretores dos estabelecimentos de ensino foram surpreendidos com cortes, em alguns casos na ordem dos 20%, quando receberam os orçamentos para este ano, apenas no final de junho. Quer isto dizer que as escolas têm de poupar nos últimos cinco meses do ano aquilo que deveriam ter poupado o ano inteiro.

O JN avança que em Ermesinde já não há dinheiro para pagar a luz. O agrupamento de escolas tem sete mil euros por mês para gastar e a conta da eletricidade deste mês já vai nos 10 mil. Na Maia, escreve o jornal, "o caos está instalado" e no agrupamento de Benfica, Lisboa, o diretor diz que terá de pedir um reforço de verbas.

O Ministério da Educação esclarece o jornal que analisará esses pedidos caso a caso.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG