Eleitorado da CDU votaria em Marcelo

Apesar de ter o seu próprio candidato, Edgar Silva, os eleitores da CDU preferem o candidato da direita

Marcelo Rebelo de Sousa ganha a corrida a Belém logo na primeira volta, segundo o barómetro do Centro de Sondagens da Universidade Católica para a Antena 1, RTP, JN e DN, com a maioria de votos oriundos do eleitorado da coligação PSD/CDS. No entanto, a sondagem também revela que o professor e ex-comentador político da TVI é o candidato mais nomeado entre os eleitores do PS, BE e CDU.

Marcelo consegue desta forma penetrar nos eleitorados que, à partida, lhe seriam mais hostis. Consegue sempre ficar acima de 25% nas intenções de voto entre os eleitores do PS, BE e CDU.

31% dos eleitores da CDU votaria em Marcelo Rebelo de Sousa, enquanto apenas 22% voltaria no candidato desta força política, Edgar Silva. 11% deste eleitorado escolheria Sampaio da Nóvoa para presidente e 5% elegeria Maria de Belém.

Também o eleitorado do PS pende mais para Marcelo Rebelo de Sousa: 26% votaria no candidato da direita, em detrimentos dos dois candidatos mais alinhados com o PS, Sampaio da Nóvoa e Maria de Belém (ambos com 18% das intenções de voto dos socialistas).

Dos eleitores do Bloco de Esquerda 30% daria a presidência da República a Marcelo, enquanto apenas 10% votaria na candidata do partido, Marisa Matias.

Segundo esta sondagem, o candidato da direita conta com 62% das intenções de voto nas presidenciais de janeiro. E numa segunda volta derrotaria Sampaio da Nóvoa e Maria de Belém.

Ficha técnica

Esta sondagem foi realizada pelo CESOP-Universidade Católica Portuguesa para a Antena 1, a RTP, o Jornal de Notícias e o Diário de Notícias nos dias 5 e 6 de dezembro de 2015. O universo alvo é composto pelos indivíduos com 18 ou mais anos recenseados eleitoralmente e residentes em Portugal Continental. Foram selecionadas aleatoriamente dezoito freguesias do país, tendo em conta a distribuição da população recenseada eleitoralmente por regiões NUT II e por freguesias com mais e menos de 3200 recenseados. A seleção aleatória das freguesias foi sistematicamente repetida até que os resultados eleitorais das últimas eleições legislativas nesse conjunto de freguesias (ponderado o número de inquéritos a realizar em cada uma) estivessem a menos de 1% dos resultados nacionais dos cinco maiores partidos. Os domicílios em cada freguesia foram selecionados por caminho aleatório e foi inquirido em cada domicílio o próximo aniversariante recenseado eleitoralmente na freguesia. Foram obtidos 1183 inquéritos válidos, sendo 58% dos inquiridos do sexo feminino, 34% da região Norte, 20% do Centro, 34% de Lisboa, 5% do Alentejo e 7% do Algarve. Todos os resultados obtidos foram depois ponderados de acordo com a distribuição de eleitores residentes no Continente por sexo, escalões etários, região e habitat na base dos dados do recenseamento eleitoral e das estimativas do INE. A taxa de resposta foi de 69%*. A margem de erro máximo associado a uma amostra aleatória de 1183 inquiridos é de 2,9%, com um nível de confiança de 95%.

Exclusivos