Constituinte. Marcelo entre Jerónimo Sousa e Mota Amaral em almoço histórico

Creme de couve-flor, tranche de garoupa grelhada e pudim de Estremoz com morangos. O vinho é do Douro e no final é servido um Porto de 10 anos

Na mesa estavam distribuídas 19 baixelas de prata, tantas quantos os convidados de honra, copos de cristal e centros com rosas brancas, vermelhas e estrelícias amarelas. Nos cartões a marcar o lugar, o Presidente da República tem ao seu lado direito Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP e conselheiro de Estado e à esquerda João Bosco Mota Amaral, ex-presidente da Assembleia da República. A mesa oval tem à sua volta figuras históricas da democracia portuguesa - deputados da assembleia constituinte de 1975/1976 - responsáveis pela primeira Constituição da República e alguns ex-presidentes da Assembleia da República (AR).

O convite partiu de Marcelo Rebelo de Sousa e de Eduardo Ferro Rodrigues, atual presidente da AR. Os 17 convidados na mesa são, além de Mota Amaral e Jerónimo, Carlos Brito, ex-dirigente do PCP, o historiador António Reis, os constitucionalistas Jorge Miranda e Vital Moreira, Diogo Freitas do Amaral, ex-presidente do CDS e ex-ministro dos Negócios Estrangeiros do PS, o médico Oliveira Dias, fundador do CDS, Arons de Carvalho, Manuel Alegre, Helena Roseta, Basílio Horta, Pedro Roseta, Afonso Dias, Maria José Sampaio, Pedro Roseta e Amândio de Azevedo, todos ex-deputados da Constituinte.

Antes de entrarem na sala de jantar pousaram para a fotografia de "família", num ambiente de descontração e boa disposição. "Chegue-se para cá, chegue-se para cá", dizia Marcelo para Jerónimo, meio afastado do grupo, que se juntava para a foto. O secretário-geral comunista sorriu e chegou-se, ficando com Helena Roseta entre si e o Presidente. Todos sorriram para os flashes. Uns mais timidamente, outros menos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG