Colisão entre autocarro e camião faz 11 feridos na Trafaria

Autocarro da empresa Transportes Sul do Tejo colidiu com camião de transporte de matérias perigosas

Uma colisão entre um autocarro e um camião na Trafaria fez esta quinta-feira 11 feridos, dos quais um em estado grave. O acidente aconteceu na estrada nacional 377-1, que liga a Trafaria ao Monte da Caparica, em Murfacém, e as vítimas são todas passageiros do autocarro da empresa Transportes Sul do Tejo.

O camião transportava gasolina, mas não houve qualquer derrame na sequência da colisão. Dos feridos, seis recusaram transporte para o hospital, disse ao DN fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal, e outros quatro sofreram ferimentos sem gravidade. Foram levados, tal como o ferido grave, para o Hospital Garcia de Orta.

O alerta para o acidente foi dado pelas 9:47. Nesta altura, as operações de socorro já terminaram, mas a estrada mantém-se condicionada para limpeza e remoção dos veículos acidentados. À agência Lusa, fonte da GNR disse que a estrada foi cortada nos dois sentidos, mas foi desimpedida e a circulação restabelecida ao final da manhã.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.