CDS motiva jovens quadros com estratega da seleção de futebol

A falta de coordenação com o PSD vai obrigar Carlos Moedas a ir às escolas de quadros dos dois partidos no mesmo dia

O responsável pela estratégia de motivação e comunicação da Seleção Portuguesa de Futebol durante a preparação para o Euro 2016 é um dos convidados mais esperados pelos "jotinhas" do CDS, que vão participar na terceira edição da Escola de Quadros do partido, daqui a uma semana. O programa ficou fechado ontem, quarta-feira.

Tomás Froes acompanhou a seleção de Cristiano Ronaldo, desde início do ano e durante todos os jogos em França e o exemplo dado com o sucesso do trabalho de motivação da equipa é motivo para a direção do CDS querer levar aos seus jovens o seu conhecimento. "Quem hoje quer participar na vida política tem que estar motivado", sublinha Diogo Feio, coordenador do programa. "O Euro 2016 foi um grande momento de futebol para a seleção e isso não aconteceu por acaso. Houve toda uma preparação prévia com base na motivação dos jogadores, na sua confiança e empenho que foram elementos determinantes no sucesso da equipa. E essa receita também se pode adaptar à política", acrescenta este membro da comissão política nacional.

Ansioso por ouvir Tomás Froes está o presidente da Juventude Popular (JP), Francisco Rodrigues dos Santos: "É muito importante para a aprendizagem da gestão de equipas e para a motivação de todos. A seleção é um exemplo do espírito de equipa que soube bem superar todos os obstáculos individuais. É isso que a juventude centrista pretende ser: um grupo unido, mas uniforme, plural, mas coeso", afirma.

A Escola de Quadros decorrerá em Peniche entre os dias um e quatro de setembro, este ano coincidindo com a "Universidade de Verão" do PSD, que em outros anos se realizava na última semana de agosto. A coordenação entre os dois partidos, que era obrigatória em tempo de coligação governamental - principalmente para a gestão do espaço mediático - não aconteceu este ano. Este ano têm um convidado em comum e no mesmo dia: o comissário Carlos Moedas e ex-secretário de Estado Adjunto de Passos Coelho. De manhã, Moedas estará em Castelo de Vide com os jotinhas sociais-democratas, à noite faz 214 quilómetros pela A23 e ruma para Peniche para animar um jantar-debate com o eurodeputado Nuno Melo, sobre a Europa.

A Educação vai estar pela primeira vez em debate nesta iniciativa de formação, o que vem na linha da estratégia política demonstrada pelo partido no parlamento, onde este tema esteve sempre na sua agenda. Ana Rita Bessa, a titular da pasta no grupo parlamentar, terá na sua frente para debater Maria de Lurdes Rodrigues, ex-ministra da Educação do PS. "É para nós uma grande honra que tenha aceite o nosso convite, pois trata-se de uma pessoa de grande relevância nesta área", assinala Diogo Feio. Este dirigente lembra que o CDS "pretende nesta área encontrar pontos de convergência e passar do papel aos atos, como tem pedido o Presidente da República (PR)".

A Cultura é outra matéria que vai estar em destaque, com a presença do escritor e consultor do PR, Pedro Mexia, e do diretor do Museu de Arte Antiga, António Filipe Pimentel. "Este painel é uma estreia, depois de os jovens terem manifestado grande interesse nesta área", salienta Diogo Feio. A sua "importância económica" é o tema a dominar a conversa.

Política Internacional estará também no programa das "aulas". O ex-presidente Paulo Portas vai matar saudades e co-protagonizará com o socialista António Vitorino a última noite: "Desafios de Portugal no presente contexto internacional".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG