Catalunha: António Costa solidário com a defesa da unidade de Espanha

Primeiro-ministro diz que declaração de independência da Catalunha é "perturbação da vida política" espanhola

O primeiro-ministro, António Costa, manifestou hoje a sua "total solidariedade à defesa do princípio constitucional da unidade de Espanha", considerando que a aprovação da declaração unilateral de independência da Catalunha "é uma perturbação da vida política" espanhola.

"A nossa posição é muito clara: total solidariedade à defesa do princípio constitucional da unidade de Espanha e o desejo de que, no funcionamento normal da ordem constitucional, sejam assegurados os canais de diálogo próprios que devem existir, mas salvaguardando aquilo que é fundamental num Estado de direito, que é o cumprimento da lei da Constituição", afirmou António Costa.

Questionado por um jornalista sobre quais as consequências que a aprovação do parlamento catalão pode trazer para a Europa, António Costa respondeu que não vai trazer "nada".

"Como sabe, não tem nenhuma validade internacional, não é reconhecido pela União Europeia, nem por nenhum país da União Europeia. O que é importante é assegurar que Espanha mantém a primazia do Estado de direito", frisou.

O primeiro-ministro falava aos jornalistas após a visita a uma base logística de distribuição de alimentação animal para os produtores afetados pelos incêndios que deflagraram no dia 15 de outubro, situada na Zona Industrial de Vila Nova de Poiares, no distrito de Coimbra.

O parlamento regional da Catalunha aprovou hoje, em Barcelona, a independência da região e a separação de Espanha numa votação sem a presença dos principais partidos que se opõem à proposta, que abandonaram a sala minutos antes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG