Câmara de Lisboa gasta 57 mil euros em cartolas

CDS critica gastos com passagem de ano no Terreiro do Paço.

A Câmara de Lisboa vai oferecer aos foliões que vão estar na Praça do Comércio na noite de passagem de ano 30 mil cartolas de plático, brilhantes, vermelhas e pretas. A compra deste acessório terá custado à autarquia 57 mil euros, avança o jornal i.

A compra foi feita através da Egeac, a empresa municipal que gere os equipamentos de animação cultural na cidade e que está a organizar os festejos de passagem de ano. De acordo com o i, o preço das cartolas "representa uma parte significativa dos 650 mil euros" que o presidente da câmara, Fernandio Medina, conta gastar com o réveillon. O espetáculo pirotécnico, por exemplo, custará 74 mil euros (mais IVA) e a contratação da fadista Ana Moura, no dia 29 de dezembro, fica por 23 mil euros (mais IVA).

Citado pelo mesmo jornal, João Gonçalves Pereira, vereador do CDS-PP na câmara de Lisboa, considera estes gastos "imorais", "principalmente quando se diz que não há dinheiro para bairros sociais, creches ou programas de apoios a idosos".

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.