Teresa Leal Coelho diz que "é preciso um doutoramento" para andar de transportes em Lisboa

Candidata social-democrata à Câmara de Lisboa foi de manhã andar de metro

A candidata do PSD à presidência da Câmara de Lisboa, Teresa Leal Coelho, ironizou hoje que "é quase preciso tirar um doutoramento" para conjugar os vários transportes da capital, uma vez que os horários não estão articulados.

O dia de Leal Coelho começou com uma viagem de metro entre as estações de Entrecampos e Rato, pelas 08:00, onde a principal dificuldade foi conseguir entrar nas carruagens.

"Àquela hora de ponta as carruagens vêm completamente cheias, é muito difícil entrar", contou aos jornalistas, acrescentando que "raramente se entra na primeira".

Apontando que "isso acontece recorrentemente" na capital, e que existe uma falta de conjugação dos horários da Carris, Metro e Transtejo, a cabeça de lista social-democrata advogou que "é quase preciso tirar um doutoramento para perceber como é que é possível conjugar os vários meios de transporte".

Já durante a tarde, numa arruada entre o Martim Moniz e os Restauradores, na freguesia de Santa Maria Maior, a comitiva encontrou maioritariamente turistas e estudantes universitários.

Teresa leal Coelho considerou que "esta é uma nova realidade da cidade de Lisboa", que "tem espaço para conciliar o turismo e os residentes".

Neste aspeto, a candidata social-democrata aproveitou para criticar o atual executivo de maioria socialista, por apenas esperar "de braços abertos que o turismo lhe caia nas mãos".

Ao lado da candidata na arruada de hoje esteve o deputado e antigo ministro social-democrata Fernando Negrão, que também foi candidato à Câmara de Lisboa em 2007, lista que Teresa Leal Coelho integrou.

Questionado sobre o resultado que o PSD alcançou há 10 anos, quando ficou em terceiro com pouco mais do que 15% dos votos, Fernando Negrão respondeu que "os tempos mudam tudo".

"Estamos em novas eleições passados 10 anos, e a história não se repete", acrescentou, considerando que quanto ao resultado de domingo "os eleitores dirão", mas existe confiança de que poderá ser melhor.

Para hoje estava prevista a presença de Pedro Santana Lopes na campanha, o que acabou por não acontecer por motivos de saúde do provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Nas próximas eleições autárquicas, marcadas para 01 de outubro, concorrem à presidência da Câmara de Lisboa Assunção Cristas (CDS-PP/MPT/PPM), João Ferreira (CDU), Ricardo Robles (BE), Teresa Leal Coelho (PSD), Fernando Medina (PS), Inês Sousa Real (PAN), Joana Amaral Dias (Nós, Cidadãos!), Carlos Teixeira (independente apoiado pelo PDR e JPP), António Arruda (PURP), José Pinto-Coelho (PNR), Amândio Madaleno (PTP) e Luís Júdice (PCTP-MRPP).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG