GNR investiga causas do despiste de autocarro

Despiste causou um morto e quatro feridos graves. Eram todos finalistas de uma escola secundária

A GNR investiga as causas do acidente com um autocarro que este domingo provocou a morte a um jovem de 20 anos, disse um responsável desta organização militar no local da ocorrência, no Itinerário Principal (IP) 2, em Nisa, Portalegre.

Aos jornalistas, o primeiro-sargento Rui Neto, do destacamento de trânsito da GNR de Portalegre, disse às 21:00 que as causas do acidente ainda são desconhecidas, mas que se trata de um despiste, isto é, o autocarro tombou sozinho -- ainda assim se encontra, apesar de o reboque já ter chegado --, sem interferência de qualquer outra viatura.

O militar da GNR disse também desconhecer quantas pessoas viajavam naquele autocarro.

"Os feridos estão a ser transportados para Portalegre, Abrantes e Castelo Branco. Ainda se está a fazer ainda a triagem para saber a quantidade de passageiros que o autocarro transportava. Não sabe ainda se estava a chover no momento do despiste, mas tem estado a chover praticamente em todo o país", disse.

De acordo com Rui Neto, o núcleo de investigação de acidentes da GNR está a efetuar no local os procedimentos normais neste tipo de situação, mas o apuramento das causas ainda demorará algum tempo.

Quatro pessoas ficaram feridas com gravidade depois de o autocarro onde seguiam se ter despistado no IP2, no concelho de Nisa, distrito de Portalegre, tendo sido transferidas para os hospitais de Abrantes e de Portalegre, segundo a Proteção Civil.

O autocarro transportava sobretudo jovens que regressavam de uma viagem de finalistas a Espanha.

Outros conteúdos GMG