Sebastião Feyo de Azevedo eleito presidente da Assembleia Municipal do Porto

Antigo reitor da Universidade do Porto eleito presidente da mesa para os próximos quatro anos com 30 dos 46 votos

O cabeça de lista do PSD à Assembleia Municipal do Porto, Sebastião Feyo de Azevedo, foi esta quarta-feira eleito presidente da mesa daquele órgão para os próximos quatro anos com 30 dos 46 votos.

A sessão, que decorreu após a tomada de posse dos membros da Assembleia Municipal e da Câmara Porto, contou com a presença dos 39 deputados e dos sete presidentes de junta do concelho.

Presidida inicialmente por Miguel Pereira Leite, presidente da Assembleia Municipal do Porto nos últimos dois mandatos e o "primeiro cidadão eleito" para aquele órgão por parte do movimento independente de Rui Moreira, na sessão marcaram presença o cabeça de lista do PS, Tiago Barbosa Ribeiro, e o cabeça de lista do PSD, Vladimiro Feliz.

À presidência da mesa da Assembleia Municipal do Porto foram apresentadas duas candidaturas: a de Sebastião Feyo de Azevedo, cabeça de lista do PSD e a quem o movimento independente de Rui Moreira já tinha anunciado apoio, e a de Alberto Martins, cabeça de lista do PS, que se apresentou como "alternativa política" no seguimento do acordo de governação estabelecido entre o PSD e o movimento "Aqui Há Porto".

Com 30 dos 46 votos, Sebastião Feyo de Azevedo foi eleito presidente da mesa da Assembleia Municipal do Porto para os próximos quatro anos.

Em reação, o antigo reitor da Universidade do Porto, afirmou que vai "trabalhar com total entrega" e no "limite" das suas capacidades como "sempre" fez nas missões públicas que dirigiu.

"Este é um momento muito marcante da minha existência", observou Sebastião Feyo de Azevedo, acrescentando que, vai exercer as suas funções de presidente com "isenção".

"Quero contribuir com esta Assembleia Municipal para um diálogo aberto, em articulação com o executivo e em proximidade com os portuenses para que a qualidade de vida dos portuenses melhore", disse.

Sebastião Feyo de Azevedo salientou ainda que vai "respeitar o legado" deixado pelos membros daquele órgão autárquico que cessam funções, destacando o trabalho de Miguel Pereira Leite, presidente cessante que assume agora a função de deputado da Assembleia Municipal do Porto.

A mesa da Assembleia Municipal integrará ainda as deputadas Maria Isabel Campos, como 1.ª secretária (eleita com 30 votos), e Carla Maria Leitão, como 2.ª secretária (com 29 dos votos).

Já o socialista Alberto Martins, antigo ministro do Governo de António Guterres, contou com 16 dos 46 votos e na sessão escusou-se a fazer declarações.

Sem maioria absoluta, o movimento do independente Rui Moreira, que tomou esta quarta-feira posse para o terceiro e último mandato na Câmara do Porto, e o PSD estabeleceram um acordo de governação e acordaram medidas para os próximos quatro anos de mandato.

O acordo está dependente da incorporação de medidas contidas no programa social-democrata no Plano e Orçamento da Câmara do Porto para 2022, tais como a redução do Imposto sob o Rendimento Singular (IRS) entre um mínimo de 0,5% e 0,625% na componente municipal.

O PSD não terá representação nos pelouros do executivo, nem nas empresas municipais.

A Assembleia Municipal do Porto é composta por 15 deputados do movimento independente "Aqui Há Porto", oito deputados do PSD, oito deputados do PS, três deputados da CDU, três deputados do BE, um deputado do PAN e outro do Chega.

Dos sete presidentes de juntas de freguesia do concelho, cinco foram eleitos pelo movimento independente de Rui Moreira, um foi eleito pelo PS e outro pelo PSD.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG