Rio aposta em engenheiro "apaziguador" contra Moreira. Batista Leite corre por Sintra

Vladimiro Feliz vai encabeçar a lista do PSD à Câmara do Porto. Antigo vice-presidente de Rio na autarquia é uma figura consensual e com muito prestígio no partido. Batista Leite une PSD e CDS na corrida a Sintra.

O meu candidato é este." Foi assim que Rui Rio anunciou o cabeça-de-lista do PSD à Câmara do Porto, Vladimiro Feliz. O presidente social-democrata admitiu que sempre que ouviu pessoas sobre o melhor candidato para o segundo município mais importante do país todos lhe falaram do seu antigo vice-presidente na autarquia. Mas reiterou: "Este sempre foi o meu candidato." O homem que vai enfrentar o independente Rui Moreira e tentar impedir que este renove a maioria absoluta que teve em 2017.

"O meu candidato é este e todos acreditaram porque neste eu confio, é um homem confiável, um homem que conhece bem a cidade do Porto, um homem que conhece bem a Câmara Municipal do Porto e um homem leal", assegurou o líder social-democrata.

Sociais-democratas do Porto, como o deputado social-democrata Hugo Carneiro reconhecem que Vladimiro Feliz é "muito próximo" de Rio e é uma figura que une todas as tendências do PSD: "De todos os candidatos que poderíamos ter no Porto é o único que terá a solidariedade de todos. Ninguém o contesta pelo seu percurso e mérito, e é um apaziguador."

Na apresentação que fez de mais 50 cabeças-de-lista do PSD às autárquicas, precisamente na Cidade Invicta, Rui Rio destacou o percurso de Vladimiro Feliz na câmara antes de assumir a vice-presidência, nomeadamente nos pelouros de vereador da Educação, Ambiente e Turismo e Lazer. "Foi um excelente vereador e tem condições para ser um excelente presidente de câmara", reforçou Rio.

O deputado Hugo Carneiro afirma que se trata de "uma pessoa que faz parte de uma geração mais jovem, mas com muita experiência profissional, um gestor de equipas, muito moderno". E destaca o trabalho deste engenheiro, de 47 anos, no Centro de Engenharia e Desenvolvimento (CEiiA), em Matosinhos, onde desempenha as funções de diretor de Sistemas de Informação e de responsável da Área de Smart Cities. É ainda presidente da secção de Smart Cities da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC) e membro do conselho editorial da i9Magazine.

O deputado social-democrata sublinha que é uma personalidade muito conhecida nas instituições do Porto, não só por isso mas também por todos os pelouros que teve na câmara da cidade.

Hugo Carneiro diz que o seu percurso profissional o coloca num patamar "descomprometido" com a política, o que "dará segurança à população", que "desde 2013 [altura em que Rui Moreira foi eleito para a presidência da autarquia] está muito balcanizada e de costas voltadas para os partidos". Assegura que irá "trazer para para a sua equipa os melhores para cada posição".

Uma "boa aposta"

A mesma ideia é transmitida por Rodrigo Passos, líder da JSD do Porto, que considera esta "boa aposta" de Rio, ainda maior do que a que foi feita em Carlos Moedas em Lisboa. E às eventuais críticas de que Vladimiro Feliz não é uma personalidade muito conhecida da população do Porto, contrapõe com a escolha que Rio fez para a corrida à Câmara de Gaia, a do ex-treinador da seleção nacional, António Oliveira. "Um é criticado por não ser conhecido, o outro porque o é...", diz, acreditando que Vladimiro "chegará bem à sociedade civil e aos eleitores do PSD no Porto".

Na apresentação de mais 50 candidatos, Rui Rio tentou justificar a opção por António Oliveira e desmistificar a contradição por sempre ter criticado a ligação da política com o futebol. Recordou que a ligação de António Oliveira ao futebol terminou em 2006. "Há mais de 15 anos que não tem nada que ver com o futebol, mas tem a experiência de lidar com pessoas, gerir equipas e o perfil adequado para pegar numa câmara como a de Gaia", disse.

O DN escreveu que o cabeça-de-lista à Assembleia Municipal daquela cidade deveria ser Luís Filipe Menezes, mas não se confirma.

Batista Leite confirmado

Já a candidatura do vice-presidente do PSD Ricardo Batista Leite à Câmara de Sintra, como o DN avançou no sábado, foi mesmo por diante. O deputado e médico infeciologista social-democrata, com 41 anos, vai ser o adversário de Basílio Horta.

Atualmente, Batista Leite também é coordenador científico de Saúde Pública (Centro de Investigação) do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa e assistente convidado da Nova Medical School da Universidade Nova de Lisboa.

Rui Rio não se alongou muito em relação ao candidato à Câmara Municipal de Sintra por, disse, ser "seguramente dos deputados mais conhecidos da Assembleia da República".

Fontes do CDS admitiram que este seria um nome capaz de "unir" os dois partidos no combate autárquico nas eleições deste ano, pelo que a coligação entre os dois partidos deverá ser renovada.

No ano passado quando se falou do nome de Ricardo Baptista Leite como potencial cabeça-de-lista à Câmara de Lisboa, o também deputado deputado municipal em Cascais - terra em que presta voluntariado aos fins de semana no Hospital Dr. José de Almeida - respondia a essa possibilidade: "Com toda a honestidade, neste momento há dias em que acordo a meio da noite e fico angustiado com a crise sanitária e o cataclismo social que está a acontecer. O foco absoluto é o de tentar encontrar soluções para estes problemas."

Rui Rio aproveitou ontem para esclarecer que Pedro Santana Lopes, antigo primeiro-ministro e líder do PSD e do Aliança, que liderou as câmaras de Lisboa e Figueira da Foz, não será candidato pelos sociais-democratas nas próximas eleições autárquicas. "Faltam ser anunciados 76 candidatos, mas eu diria que não será candidato", afirmou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG