PSD da Figueira impugnou Santana sem avisar direção nacional

José Silvano, secretário-geral do PSD, recusa fazer comentários políticos à iniciativa da candidatura "laranja" contra o ex-líder do partido. Foi uma atitude "meramente jurídica"

A candidatura do PSD à Câmara Municipal da Figueira da Foz impugnou a candidatura independente de Pedro Santana Lopes sem avisar a direção nacional do partido.

José Silvano, secretário-geral do PSD, reconheceu-o ao DN, dizendo que "não houve conhecimento nem tinha que haver". "Foi uma iniciativa meramente jurídica do mandatário da candidatura do PSD, que tem autonomia para isso. Do ponto de vista político não fazemos qualquer comentário."

O movimento de Santana Lopes comentou a decisão do PSD da Figueira. "A tentativa de impugnação da candidatura do Movimento Figueira a Primeira-FAP não passa de uma intenção do PSD de procurar protagonismo que não tem de outra forma", afirma, em comunicado enviado à agência Lusa, o movimento independente liderado pelo ex-líder do PSD (e ex-presidente da Figueira).

"Pequenas falhas"

Na nota, o movimento de Santana refere que "a verificação da legalidade da candidatura do Movimento FAP compete única e exclusivamente ao juiz responsável pela instrução do processo", "sendo que, até hoje, o tribunal não notificou [a candidatura] por qualquer irregularidade que a ponha em causa", apenas de "pequenas falhas processuais".

A candidatura do PSD apresentou o pedido de impugnação no tribunal alegando a violação da lei que regula a eleição dos órgãos das autarquias locais. De acordo com o documento consultado pela agência Lusa, a candidatura alega que o movimento independente tem apresentado denominações diferentes numa mesma candidatura: "Apresenta-se com a denominação "Pedro Santana Lopes Figueira a Primeira" e outras vezes com a denominação "Figueira a Primeira" o que não se pode admitir e a lei não consente."

joao.p.henriques@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG