Paulo Rangel assume homossexualidade: "nunca escondi, não é segredo"

O político que pode vir a ser o candidato do PSD a primeiro-ministro em 2023 decidiu fazer o seu "coming out" numa entrevista de vida à SIC

O eurodeputado do PSD Paulo Rangel assumiu hoje publicamente que é homossexual. A revelação foi feita esta tarde no programa "Alta Definição", da SIC.

"Não é nenhum problema. Foi uma coisa que nunca escondi, não é nenhum segredo ", disse Rangel.

O eurodeputado assumiu, porém, que nunca o admitiria numa entrevista televisiva se a sua mãe não tivesse já falecido (o que aconteceu em 2019).

"Esta conversa que nunca teria se ela fosse viva", afirmou ao entrevistador, Daniel Oliveira. Segundo admitiu, uma conversa sua com os seus pais sobre a sua homossexualidade foi algo que "nunca existiu". "Temos de proteger um pouco as nossas famílias. Essas pessoas não têm de ser objeto deste escrutínio", explicou ainda.

Paulo Rangel diz que foi vivendo a descoberta da sua sexualidade como um "processo natural" e "gradual" que incluiu "descoberta, recusa e ignorância".

Depois, aos 32/33 anos, "as coisas pacificaram-se". E o facto de ser um cristão profundo não foi um obstáculo: "Deus gosta de nós como nós somos" e "não está assim tão interessado no que se passa no quarto".

A decisão de coming out de Rangel surge depois de uma manchete do semanário "Tal & Qual": "Eles querem ver Rangel a sair do armário".

O jornal dizia que Rangel - putativo candidato à liderança do PSD no próximo congresso do partido - estaria a ser vítima de uma "campanha negra" com a ameaça de revelações à sua revelia de aspetos da sua vida pessoal.

Nessa suposta "campanha negra" enquadrou-se também a revelação de um vídeo na net onde se vê o eurodeputado caminhando numa rua de Bruxelas claramente embriagado.

Rangel reagiu a esse vídeo com uma nota colocada nas suas páginas no Facebook e no Twitter.

"Um vídeo depois de um excesso num jantar com amigos, há anos em Bruxelas, tornou-se viral. Não sei quem filmou, guardou e só agora divulgou. Deploro que o tenha feito, violando os limites da vida privada. Vida, em que como canta o Sérgio, todos temos glórias, terrores e aventuras", escreveu.

Depois disso, Rangel decidiu que estava na altura de dar uma entrevista de vida que acabasse com todas as especulações.

Paulo Rangel é eurodeputado do PSD desde 2009. Em 2010 concorreu à liderança do partido, sendo derrotado por Pedro Passos Coelho. E isso, admitiu na entrevista, poderá voltar a acontecer: "Não digo desta água não beberei", afirmou, dizendo ainda "não enjeito" à possibilidade de um dia ser primeiro-ministro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG