Montenegro no Chão da Lagoa já criticou Governo e dançou bailinho com Albuquerque

Montenegro disse que o novo aeroporto de Lisboa é uma obra que, em sete anos, "o Partido Socialista não conseguiu colocar no terreno", mas que "nos últimos tempos tem sido alvo de uma tentativa de encostar a responsabilidade de decidir para o PSD".

O líder do PSD, Luís Montenegro, disse este domingo que a obra do novo aeroporto de Lisboa já devia ter começado há sete anos e considerou haver uma "tentativa de encostar a responsabilidade" pela decisão do projeto aos social-democratas.

"Eu quero ser muito claro: O PSD é um partido responsável, é um partido que entende que estas obras estratégicas, estruturantes, devem merecer um consenso tão alargado quanto possível, mas não vamos inverter os papeis", declarou, esclarecendo: "Quem tem de governar é o Governo, nós cá vamos fazer oposição responsável, como digo, mas oposição".

Luís Montenegro falava à chegada à Herdade do Chão da Lagoa, nas montanhas sobranceiras ao Funchal, onde hoje decorre a festa do PSD/Madeira, após dois anos de interrupção devido à pandemia de covid-19, e onde se encontram já milhares de pessoas.

O líder do PSD aproveitou para beber a tradicional poncha e inclusive já dançou o bailinho com o líder regional Miguel Albuquerque.

"Não vamos decidir na vez do Governo. Quando nós estivermos na posição de decidir é porque somos Governo, não é porque somos oposição", afirmou o líder social-democrata, à margem da visita às barracas que representam as 54 freguesias da Região Autónoma da Madeira.

Montenegro disse que o novo aeroporto de Lisboa é uma obra que, em sete anos, "o Partido Socialista não conseguiu colocar no terreno", mas que "nos últimos tempos tem sido alvo de uma tentativa de encostar a responsabilidade de decidir para o PSD".

"Dito isto, sete anos depois, nem sequer as obras no aeroporto da Portela se iniciaram", criticou, realçando que o "caos" nas chegadas em Lisboa é uma "situação intolerável".

E acrescentou: "Eu, aqui, incito o Governo, antes de mais, a tratar do Aeroporto General Humberto Delgado, deve oferecer melhores condições para que a economia e o turismo não saiam prejudicados como têm saído, para além das pessoas propriamente ditas".

O presidente do PSD disse que o partido vai procurar dar todas as contribuições para que se encontre uma "solução para as próximas décadas", mas insistiu em que a responsabilidade pela atual situação é do Governo socialista, liderado por António Costa.

"Repito: só há hoje uma questão em aberto para decidir porque houve uma incompetência enorme do Governo nos últimos sete anos", declarou.

Na sexta-feira, o primeiro-ministro e o presidente do PSD estiveram reunidos a sós, em São Bento, durante três horas e meia, no primeiro encontro entre ambos.

António Costa caraterizou o encontro como "uma conversa bastante agradável", na qual falaram de vários temas, entre os quais do novo aeroporto.

O chefe do executivo disse, também, que ainda não sabe se terá um acordo com o PSD sobre a nova solução aeroportuária para a região de Lisboa e insistiu que se trata de uma questão estruturante que requer consenso.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG