Marcelo vai estar no funeral de José Eduardo dos Santos em Luanda

O chefe de Estado português vai fazer-se acompanhar pelo ministro dos Negócios Estrangeiros no funeral do antigo presidente angolano. As cerimónias fúnebres deverão decorrer no domingo, em Luanda, segundo o porta-voz do MPLA.

O Presidente da República português confirmou esta segunda-feira a sua presença nas cerimónias fúnebres do antigo chefe de Estado angolano José Eduardo dos Santos. Marcelo Rebelo de Sousa vai fazer-se acompanhar pelo ministro dos negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho.

A informação foi divulgada pelo site da Presidência da República. "Conforme oportunamente anunciado, o Presidente da República estará presente nas exéquias do antigo Presidente José Eduardo dos Santos. O Chefe de Estado é acompanhado pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros", lê-se na nota.

José Eduardo dos Santos, que governou Angola de 1979 a 2017, morreu, em 8 de julho, com 79 anos, em Barcelona, Espanha, onde passou a maior parte do tempo nos últimos cinco anos.

O corpo do ex-Presidente angolano chegou a Luanda no sábado, oriundo de Barcelona num voo da companhia aérea angolana TAAG, após uma disputa entre duas fações da família sobre a guarda do corpo.

As cerimónias fúnebres deverão decorrer em 28 de agosto, em Luanda, segundo o porta-voz do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA, no poder), Rui Falcão.

Duas fações da família dos Santos disputaram, na Vara de Família do Tribunal Civil da Catalunha, quem ficaria com a guarda do corpo de José Eduardo dos Santos.

De um lado, Tchizé dos Santos e os irmãos mais velhos, que se opunham à entrega dos restos mortais à ex-primeira-dama e eram contra a realização de um funeral de Estado antes das eleições de 24 de agosto para evitar aproveitamentos políticos.

Do outro, a viúva Ana Paula dos Santos e os seus três filhos em comum com José Eduardo dos Santos, que reivindicavam também o corpo e queriam que este fosse enterrado em Angola nos próximos tempos.

Na quarta-feira, o tribunal decidiu-se pela atribuição do cadáver à antiga mulher e autorizou a trasladação para Angola, depois de concluir definitivamente que José Eduardo dos Santos morreu de causas naturais.

A trasladação do corpo do antigo chefe de Estado angolano ocorreu em pleno período de campanha para as eleições, onde o atual presidente, João Lourenço, que sucedeu a José Eduardo dos Santos em 2017, procura a reeleição.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG