Já só restam 24 bastiões: sete caíram neste domingo

O PCP voltou a ser o mais afetado, mas por pouco: perdeu três autarquias históricas. PSD e PS perderam, cada um, duas câmaras municipais.

Caíram sete das 31 câmaras que desde 1976 estavam nas mãos dos mesmos partidos. A CDU perdeu Mora, Montemor-o-Novo (distrito de Évora) e Moita (distrito de Setúbal) para os socialistas.

A reviravolta em Montemor-o-novo fez-se com 514 votos e deixou a coligação CDS/PSD como fiel da balança. O que já levou, aliás, o novo presidente, Olímpio Galvão, a admitir "entendimentos" com os "partidos mais à direita" porque "sozinhos não conseguimos governar. E também porque o objetivo era "retirar a CDU do poder".

Na Moita, o cenário repete-se. Só que aqui é o Chega quem está no papel de fiel da balança. BE e a coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/A/ PDR perderam, cada um, o único vereador que tinham. O PS, que venceu as eleições, e a CDU conseguiram o mesmo número de eleitos: quatro.

A CDU mantém agora seis bastiões históricos: Avis, Arraiolos, Seixal, Palmela, Santiago do Cacém e Serpa. Das 24 autarquias que detinham,

O PS perdeu para os PSD dois dos 11 bastiões que vinham deste 1976: Reguengos de Monsaraz e Cartaxo. E nos dois casos, o PSD venceu com maioria absoluta. No concelho alentejano, Marta Prate, a nova presidente, fala de "uma noite histórica. O futuro será trabalhar muito, com seriedade, rigor e muita convicção para melhorar a vida das pessoas".

No Cartaxo, o PS a bipolarização histórica e a entrada do Chega empurraram o PCP e BE para quarta e quinta forças políticas, respetivamente.

Na perda de bastiões, o PSD que também tinha onze autarquias nessa situação perdeu Ferreira do Zêzere (distrito de Santarém) e Penela (distrito de Coimbra) para os socialistas. E nos dois houve trocas de maiorias absolutas. Em Penela é o PCP a terceira força política (sem vereadores), em Ferreira do Zêzere é o Nós, Cidadãos que mantém esse lugar.

O novo presidente em Penela acredita que foi eleito porque "de uma forma construtiva e positiva, conseguimos contagiar as pessoas [com o programa] e fazê-las acreditar na mudança".

artur.cassiano@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG