Costa retoma agenda após teste negativo. "Se fiquei feliz em ficar confinado? Claro que não"

O primeiro-ministro cumpriu um período de confinamento profilático determinado pelas autoridades de saúde após ter estado em contacto com um membro do gabinete que testou positivo à covid-19.

O primeiro-ministro, António Costa, retomou a atividade presencial e a agenda pública após ter realizado um novo teste PCR determinado pelas autoridades de saúde, com resultado negativo, anunciou o seu gabinete.

"Se eu fiquei feliz em ficar confinado? Claro que não fiquei feliz. Se percebo? Percebo qual é o racional", afirmou António Costa, em Loures, à margem da cerimónia de assinatura do protocolo de cooperação para o Metro Ligeiro de Superfície Loures/Odivelas.

O primeiro-ministro esteve desde quarta-feira passada a cumprir um período de confinamento profilático determinado pelas autoridades de saúde após ter estado em contacto com um membro do gabinete que testou positivo à covid-19. António Costa não teve sintomas e manteve a atividade à distância.

"As vacinas garantem uma proteção, mas não a 100%. Ou seja, há uma pequena percentagem de pessoas em que a vacina não protege", explicou o primeiro-ministro, referindo que, obviamente, as autoridades têm de garantir" o isolamento preventivo "porque ou estamos nos 97% dos que estão protegidos ou podemos estar nos 3% dos que não estão protegidos".

O primeiro-ministro recordou que quando não estamos protegidos os outros também não o estão, referindo que, não sendo técnicos, temos de aceitar a opinião dos técnicos.

Questionado sobre a incompreensão manifestada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, em relação ao isolamento de uma pessoa com as duas doses da vacina há um mês, e se considera que a situação foi mal explicada, o primeiro-ministro afirmou: "Se o assunto está mal explicado ajudem a explicar. Se nenhum de nós é técnico, temos de os seguir."

Em relação ao argumento que lhe foi dado para ficar em isolamento, mesmo depois de vacinado com as duas doses, Costa disse que a explicação já "foi dada publicamente a toda a gente", repetindo que já tinha dito sobre as vacinas, que não têm 100% de eficácia, havendo um número de reduzido de pessoas que não ficam protegidas.

Costa explicou que "ao final do 10º dia do contacto de risco foi feito um teste e deu negativo", terminando assim o período de isolamento, de acordo com as recomendações das autoridades de saúde.

"Após a realização de novo teste PCR determinado pelas autoridades de saúde e tendo o resultado do mesmo sido, novamente, negativo, as autoridades de saúde autorizaram o retomar da atividade presencial do primeiro-ministro e, como tal, da sua agenda pública", referiu, antes, uma nota do gabinete de António Costa.

O primeiro-ministro irá esta segunda-feira à tarde, 15:30, fazer o balanço da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, no Centro Cultural de Belém.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG