CDU não quer deixar cair combatentes no esquecimento

No segundo dia de campanha, João Ferreira esteve reunido com deficientes das Forças Armadas, em Lisboa. No final, o vereador da Câmara Municipal de Lisboa que substituiu Jerónimo de Sousa, que teve alta hospitalar horas mais tarde, frisou que a CDU quer melhorar o Estatuto do Antigo Combatente e dar mais apoios aos ex-militares e famílias.

"Ninguém fica para trás." Foi sob este mote, estampado na entrada da sede da Associação de Deficientes das Forças Armadas (ADFA), em Lisboa, que João Ferreira (CDU) foi recebido. O encontro serviu, segundo o candidato, para tentar garantir que esta realidade "não caia no esquecimento".

Para o vereador da Câmara Municipal de Lisboa, e número dez da lista pelo círculo eleitoral do distrito, os combatentes e as famílias carregam "as feridas vivas" do passado. Por isso, considera João Ferreira, esta questão é também "um problema da sociedade". Ao longo dos anos, refere, "o Partido Comunista tem tido uma intervenção constante na Assembleia da República para acorrer aos problemas" destas pessoas.

Por esta razão, a CDU considera ser preciso ir mais longe no Estatuto do Antigo Combatente, em vigor desde setembro de 2020. Para isso, os comunistas propunham a criação de uma "pensão mínima de dignidade", que impediria os combatentes de receber uma pensão inferior ao salário mínimo.

Em declarações aos jornalistas, ao lado de representantes da ADFA, João Ferreira disse que este encontro tem também associada uma mensagem "muito importante nos dias de hoje", de "promoção de paz, de prevenção de conflitos".

No entanto, nem só de reuniões se fez este encontro. Durante a ação de campanha, outra notícia surgiu: o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, sairia do hospital daí a poucas horas. As perspetivas para o rosto maior dos comunistas são otimistas. Se tudo correr como planeado após ter tido alta, o líder comunista retomará a campanha no próximo fim de semana.

Apesar da boa nova, o secretário-geral ainda tem uns dias de recuperação pela frente. Enquanto isso não acontece, João Ferreira e João Oliveira têm tomado conta da campanha. Segundo o substituto de Jerónimo de Sousa, esta é uma boa notícia, recebida com desejos de uma retoma rápida, para que Jerónimo volte "cheio de energia e de vontade" à campanha.

Visto como um dos rostos mais fortes à sucessão de Jerónimo de Sousa, João Ferreira não aponta ao cargo. "A substituição que todos desejamos é que seja feita por ele próprio", desejando que "possa voltar" o mais depressa possível. Além disso, refere, "esta não é a campanha de apenas um homem, mas sim de milhares de homens e de mulheres por todo o país".

Depois de Lisboa, a caravana da CDU seguiu viagem para Couço, no concelho de Coruche. A campanha da CDU termina no dia 28 de janeiro, com um comício no distrito de Braga.

Texto de Rui Miguel Godinho editado por Carlos Ferro

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG