A "quebra eleitoral": PCP perde PEV e João Oliveira

Coligação liderada pelos comunistas passa de 12 deputados para seis. Jerónimo de Sousa admite derrota e desafia PS com acordos à esquerda em "resposta a problemas do país".

Os resultados da CDU nestas eleições legislativas ficaram marcados pela derrota da coligação liderada pelo PCP , que ficou sem a representação institucional do PEV na próxima legislatura e perdeu um dos seus importantes líderes parlamentares, e logo no Alentejo.

O deputado comunista João Oliveira, que se tornou um dos rostos mais emblemáticos desta campanha eleitoral ao substituir provisoriamente Jerónimo de Sousa, falhou a eleição para a Assembleia da República pelo círculo de Évora. Contudo, prometeu "continuar a estar disponível" para a "luta do partido e dos trabalhadores".

A CDU, que nas eleições de outubro de 2019 elegeu 12 deputados, passou agora a contar apenas com metade: seis.

Descontente com os resultados, Jerónimo de Sousa lamentou a "quebra eleitoral" e admitiu que "não estamos propriamente felizes, embora estejamos com consciência da dureza desta batalha".

Perante a derrota, o secretário-geral considerou que o resultado foi fruto de uma "extrema bipolarização" promovida pelo Partido Socialista e sublinhou que, num futuro muito próximo, "o PS tem na mão a opção de fazer entendimentos com o PSD ou fazer acordos à esquerda com a CDU".

O líder comunista, ressalvou ainda todos os avanços conseguidos pela constante "luta por uma alternativa política com os valores de Abril" e deixou elogios aos "camaradas" da Juventude Comunista .

"Neste quadro mais difícil, a CDU reafirma a sua determinação de prosseguir e intensificar a intervenção em defesa dos interesses e aspirações dos trabalhadores e do povo", concluiu. "A luta continua!", foram estas as palavras que ecoaram ao fim da noite, na sede do PCP em Lisboa.

ines.dias@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG